Startup portuguesa vence prémio de melhor tecnologia para sports commerce

A startup portuguesa mycujoo, que tem uma plataforma de transmissão de jogos em direto, foi distinguida nos prémios de tecnologia no desporto da Yahoo! deste ano.

A startup portuguesa mycujoo continua a dar cartas lá fora. Foi a vencedora do prémio de Melhor Tecnologia para Sports Commerce, nos Yahoo! Sports Technology Awards deste ano. A mycujoo é uma uma plataforma digital de transmissão de jogos desportivos, particularmente de futebol, em direto, que tem parcerias com várias ligas, clubes e federações internacionais.

“Fornecer uma plataforma para vários níveis, desde o básico até ao semiprofissional, é incrível, especialmente ao dividir o financiamento de publicidade com clubes e ligas”, aponta o júri que avaliou os candidatos nesta categoria, citado em comunicado. “Este produto, baseado na comunidade, tem um futuro brilhante“, continua.

A candidatura foi também elogiada pelo painel de especialistas na área, como algo “que destaca como o vazio no mercado foi identificado e monetizado“. Na lista de finalistas para este prémio, ao lado da mycujo, estavam empresas como a Nielsen Sports, a Minute.ly e a AteletasNOW.

A mycujoo foi fundada em 2014, e já transmite jogos em 120 países, número que deve aumentar neste ano, revelou um dos fundadores ao ECO, no início do ano. Por Portugal, as parcerias envolvem mais de 300 clubes, entre os quais o SC Braga, o Boavista FC e o Nacional da Madeira. A equipa, espalhada por escritórios em Portugal e na Holanda, é composta por mais de 70 trabalhadores.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Startup portuguesa vence prémio de melhor tecnologia para sports commerce

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião