Sonae Capital baixa prejuízos no primeiro trimestre para cinco milhões de euros

Empresa registou uma melhoria nas contas das suas várias unidades de negócio, mas não chegou para eliminar os prejuízos, que ainda assim caíram 3,6 milhões de euros.

A Sonae Capital — empresa do grupo com os negócios de imobiliário e hotelaria — voltou a apresentar prejuízos no primeiro trimestre do ano, mas mais baixos do que no ano passado. De acordo com a empresa, o prejuízo da empresa diminuiu para 5,07 milhões de euros no primeiro trimestre do ano, menos 3,6 milhões de euros que o verificado nos primeiros três meses de 2018.

Segundo a empresa, a redução do prejuízo resulta de uma melhoria dos resultados nas unidades de negócio da hotelaria, fitness, energia e das operações do Troia Resort.

No fitness, a empresa que é dona das cadeias de ginásios Solinca e Pump (o segmento low cost) diz que tem um número médio de sócios ativos superior a 89 mil, um crescimento de 7,5% face aos números do primeiro trimestre de 2018. O volume de negócios desta área cresceu 12,1%, segundo a empresa. Neste segmento, a empresa anunciou ainda ao mercado que comprou na quarta-feira a cadeia Urban Fit, um negócio que começou a ser gizado em setembro de 2018, tal como o ECO avançou. “No final do primeiro trimestre de 2019, o número total de clubes situava-se em 30, tendo aumentado para 35 à data deste reporte. Este valor inclui a abertura, em 9 de maio de 2019, do Clube Pump, no Seixal, assim como, o anúncio da aquisição da cadeia Urban Fit (que detém quatro clubes), em 15 de maio de 2019 e que se espera venha a ser efetiva, em junho de 2019″, pode ler-se no comunicado enviado ao mercado.

Na área da energia, a empresa diz que o volume de negócios cresceu 17,8%, atingindo os 14 milhões de euros nos primeiros três meses, devido ao crescimento da operação de Renováveis em Solar e da operação de Cogeração. O volume de negócios no imobiliário também terá crescido 5,4%, mas no segmento da engenharia industrial este baixou.

A empresa nota ainda que as operações do Troia Resort cresceram de forma significativa, mas ainda com um volume de negócios que se ficou pelos 1,5 milhões de euros.

A melhoria em todos estes segmentos de negócio permitiram apenas reduzir o prejuízo de 8,67 milhões de euros entre janeiro e março de 2018 para 5,07 milhões de euros no mesmo período deste ano.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Sonae Capital baixa prejuízos no primeiro trimestre para cinco milhões de euros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião