Lucro da Sonae sobe e quer continuar a contratar

  • Lusa e ECO
  • 15 Maio 2019

Crescimento das vendas e melhoria da rentabilidade operacional explicam melhoria homóloga dos resultados, apesar do efeito negativo pela Páscoa ter sido mais tarde.

A Sonae obteve um lucro de 18,3 milhões de euros no primeiro trimestre, mais 6,5% do que no período homólogo, impactado pelo crescimento das vendas e pela melhoria da rentabilidade operacional, foi anunciado esta quarta-feira ao mercado. A presidente executiva da Sonae considerou que a empresa teve um bom início de ano, “apesar do efeito de calendário adverso com uma Páscoa tardia”.

“Com o crescimento das vendas e a melhoria da rentabilidade operacional, o resultado líquido atribuível a acionistas aumentou 6,5% para 18,3 milhões de euros”, indicou, em comunicado, o grupo.

No primeiro trimestre, o volume de negócios da Sonae avançou 8,9% para 1.461 milhões de euros, “refletindo principalmente o crescimento na Sonae MC e a consolidação das vendas estatutárias da Sonae Sierra”.

O administrador financeiro (CFO) da Sonae fez também um balanço “claramente positivo” dos resultados que o grupo obteve no primeiro trimestre, destacando o “forte crescimento” das vendas e a melhoria da rentabilidade operacional.

Em declarações à Lusa, João Dolores disse que em termos operacionais, todos os indicadores apresentaram “uma evolução positiva, apesar de a Páscoa, este ano, não ter sido no primeiro trimestre”. Além do lucro de 18,3 milhões o EBITDA (resultados antes de juros, impostos, depreciação e amortização) cresceu 33,4% (34 milhões de euros) e atingiu 136 milhões de euros.

“Para além disso, e fruto destes resultados, a Sonae continua a apresentar uma forte solidez financeira e reduzimos a dívida em base comparável em 99 milhões de euros face ao passado”, declarou João Dolores, sendo atualmente de 1.701 milhões de euros. Este valor reflete já a compra da Arenal, bem como os impactos da participação adicional de 20% da Sonae Sierra, “nomeadamente o investimento na aquisição (256 milhões de euros) e a consolidação da sua dívida líquida (205 milhões de euros)”. O responsável da Sonae notou ainda que a “solidez financeira” permite à empresa “continuar a investir e explorar oportunidades de crescimento”.

Entre janeiro e março, o investimento aumentou 64% para 116 milhões de euros, com destaque para a Sonae MC, “quer na abertura de novas lojas e remodelação de lojas existentes, quer na aquisição de uma participação na Arenal, que é uma rede de parafarmácias do norte de Espanha”, indicou.

A Sonae IM, por seu turno, “tem vindo a investir em aquisições com resultados muito positivos”, tendo, neste trimestre, reforçado a sua participação em diversas empresas e investido na israelita CB4, que é especialista em inteligência artificial para retalho.

“Prosseguimos a nossa aposta no digital, o que se traduz, em particular, no crescimento forte das nossas vendas ‘e-commerce’ e no nosso reforço enquanto líderes do comércio eletrónico em Portugal”, acrescentou. Exemplo disso é o lançamento da plataforma Dott em parceria com os CTT.

João Dolores destacou ainda o desenvolvimento da internalização do grupo, com, por exemplo, as vendas internacionais da Sonae Fashion a representarem já mais de 50% do total de compras.

Reforçar o número de colaboradores

A Sonae pretende continuar a investir e a reforçar o número de colaboradores do grupo, mostrando-se também “confiante” nos resultados que vai alcançar nos próximos trimestres, disse à Lusa o administrador financeiro.

“A Sonae tem vindo a aumentar o seu número de colaboradores nos últimos anos e como esperamos continuar a crescer, esperamos aumentar o número de colaboradores nos nossos negócios”, afirmou administrador financeiro. Segundo João Dolores, a Sonae tem o objetivo de abrir mais lojas no retalho alimentar, estando já a inaugurar “a um ritmo de 15 a 20 lojas [em formato proximidade] por ano”, o que implica “aumentar o emprego do grupo”.

Nos últimos 12 meses, a Sonae criou mais de 1.200 postos de trabalho, contando, atualmente, com mais de 53 mil colaboradores distribuídos pelas empresas do grupo.

Resultados por negócio

  • No retalho alimentar, a Sonae MC registou um aumento homólogo de 7,4% no volume de negócios para 1.048 milhões de euros.
  • Entre janeiro e março, a Sonae Sierra, detentora e gestora de centros comerciais, registou um crescimento de 8,2% do volume de negócios para 58 milhões de euros.
  • No primeiro trimestre, as receitas operacionais da NOS atingiram 385 milhões de euros, mais 0,6% em termos homólogos e o resultado líquido aumentou mais de 20% para 43 milhões de euros.
  • A Sonae IM, focada no investimento em empresas tecnológicas nas áreas de telecomunicações e retalho, durante o primeiro trimestre de 2019, registou um volume de negócios de 44 milhões de euros, mais 41% face a igual trimestre do ano anterior, “impulsionado pela integração da Nextel e da Excellium”.
  • No período em causa, a Sonae FS, que coordena os serviços financeiros, manteve a evolução positiva registada em 2018, com o volume de negócios a progredir 16,7%, ascendendo a 8,1 milhões de euros.

(Notícia atualizada com mais informação)

Comentários ({{ total }})

Lucro da Sonae sobe e quer continuar a contratar

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião