DefinedCrowd lança app que permite a utilizadores construir “futuro da inteligência artificial”

DefinedCrowd criou app para iOS e Android que permite aos utilizadores verificar e classificar conteúdos sendo pagos por cada tarefa completa. Input humano vai chegar a clientes como a BMW ou a EDP.

A DefinedCrowd lançou, esta terça-feira, em Toronto, uma aplicação mobile construída para que todos façam parte do futuro da inteligência artificial. A Neevo foi apresentada na Collision Conf, na capital do estado do Ontário, e permite aos membros da comunidade contribuir para o desenvolvimento e melhoria de sistemas de inteligência artificial.

“Com a procura por dados de treino de alta qualidade a aumentar, é crucial garantirmos que a nossa comunidade human-in-the-loop tem acesso eficiente e rápido às tarefas essenciais para a IA”, refere Sara Oliveira, diretora de produto. “Por isso, o lançamento da aplicação Neevo é um marco muito importante para nós, uma vez que providencia uma experiência mobile dedicada para potenciar a inteligência humana nos nossos datasets,” acrescenta.

Disponível para iOS e Android, a app oferece aos membros a possibilidade de realizar ações de escrita, anotação, recolha e classificação de conteúdos, sendo estes pagos por cada tarefa concluída. A opção de verificar os sistemas de inteligência artificial com um input humano permite à DefinedCrowd “oferecer dados de treino de qualidade rapidamente aos seus clientes, que incluem nomes como BMW, Mastercard, Accenture, EDP e José de Mello Saúde”, entre outras empresas.

À medida que a indústria se vai apercebendo do impacto da qualidade dos dados de treino, nós continuamos a trabalhar para melhorar não só a experiência dos nossos clientes, mas também a experiência da nossa incrível comunidade human-in-the-loop”, afirma a fundadora e CEO da DefinedCrowd, Daniela Braga.

Fundada em 2015, a DefinedCrowd foi considerada recentemente uma das 100 melhores startups na área da Inteligência Artificial pela consultora CB Insights. Com uma equipa de mais de 110 pessoas nos escritórios de Seattle, Lisboa, Tóquio e Porto, a empresa fundada pela portuguesa Daniela Braga continua a contratar para os escritórios portugueses. A comunidade NeevobyDefinedCrowd é constituída, a nível global, por mais de 130.000 membros espalhados por mais de 50 países.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

DefinedCrowd lança app que permite a utilizadores construir “futuro da inteligência artificial”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião