Sócrates não vai à comissão de inquérito à CGD. Pediu para responder por escrito

O antigo primeiro-ministro socialista José Sócrates pediu para responder por escrito às perguntas dos deputados, tal como já o tinha feito na comissão de inquérito às rendas excessivas.

José Sócrates não vai ser ouvido na comissão parlamentar de inquérito à gestão da Caixa Geral de Depósitos. O antigo primeiro-ministro socialista pediu para responder por escrito às questões dos deputados.

Os coordenadores de cada um dos partidos na segunda comissão de inquérito à Caixa Geral de Depósitos foram informados esta tarde da indisponibilidade do antigo primeiro-ministro em responder às perguntas dos deputados no Parlamento.

Sócrates não será ouvido presencialmente no inquérito à recapitalização da CGD e aos atos de gestão, mas irá responder por escrito, disse uma fonte parlamentar ao ECO.

José Sócrates já tinha invocado este direito de que dispõe, por ter sido primeiro-ministro, de responder às perguntas por escrito na comissão de inquérito às rendas excessivas.

Recorde-se que Sócrates foi primeiro-ministro de Portugal entre 2005 e 2011, período em que a CGD foi liderada, entre outros, por Carlos Santos Ferreira.

Durante a liderança de Santos Ferreira foram concedidos vários créditos que vieram a revelar-se ruinosos para o banco público, entre eles o financiamento a Joe Berardo, para comprar ações do BCP, e o investimento da CGD no resort de Vale de Lobo.

O investimento da CGD acabou por ser investigado pelo Ministério Público no âmbito da Operação Marquês, sendo que os procuradores acreditam que José Sócrates teve influência na decisão da CGD.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Sócrates não vai à comissão de inquérito à CGD. Pediu para responder por escrito

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião