Sindicato marca greve na Soflusa para 12 de junho

  • ECO
  • 4 Junho 2019

Sindicato da Marinha Mercante, Indústrias e Energia (Sitemaq) emitiu um pré-aviso de greve da Soflusa para o dia 12 de junho, avança a TSF. Fectrans prefere manter negociações, mas admite problemas.

O Sindicato da Marinha Mercante, Indústrias e Energia (Sitemaq) emitiu um pré-aviso de greve da Soflusa para o dia 12 de junho, visando protestar contra a quebra “da harmonia salarial” que existiria na empresa, apontou Alexandre Delgado, responsável deste sindicato, em declarações à TSF. Em causa o acordo do governo com os mestres das embarcações.

“Existia uma harmonia salarial na Soflusa que foi quebrada no dia 30, privilegiando um só grupo de profissionais”, acusou Delgado, que subinhou que o seu sindicato exige agora “rigorosamente o mesmo para os outros trabalhadores que não foram contemplados, ou seja, os mesmos 60 euros para cada um dos trabalhadores que não foram contemplados”. Se for aceite, a greve é retirada “de imediato”.

Apesar da tomada de posição do Sitemaq, a Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (Fectrans) manifestou preferir que as negociações continuem, ainda que reconhecendo que se criou um problema ao negociar-se apenas com parte dos trabalhadores da empresa.

“A solução foi só para uma determinada categoria profissional, excluindo da solução que estava em discussão a generalidade dos trabalhadores. É óbvio que quem foi excluído não se sente contente e está a exigir que também sejam respondidas as reivindicações que têm colocado“, explicou o sindicalista, também ouvido pela TSF. José Manuel Oliveira espera reunir ainda esta semana com o governo e com a gestão da Soflusa.

Nas últimas semanas, a Soflusa, responsável pelas ligações fluviais entre Barreiro e Lisboa, suprimiu dezenas de barcos em ambos os sentidos.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Sindicato marca greve na Soflusa para 12 de junho

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião