Caixa só soube em 2008 que tinha 4,6 mil milhões em empréstimos com garantia de ações

Só em 2008 é que a Caixa se apercebeu que tinha "elevado montante" de crédito com garantia de ações. Levantamento veio revelar 4,6 mil milhões de euros quando estalou a crise na bolsa.

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) só quando estalou a crise na bolsa, em 2008, é que soube que tinha concedido mais de 4,6 mil milhões de euros em empréstimos cujas garantias eram ações, revelou esta quinta-feira o antigo administrador do banco Norberto Rosa.

“Só em fevereiro de 2008 é que tivemos a perceção de que havia um elevado montante de créditos concedidos com garantia de ações. Não havia essa informação agregada”, disse o atual secretário-geral da Associação Portuguesa de Bancos (APB) na comissão de inquérito da CGD.

“Quando identificamos que havia uma situação de grave crise da bolsa, solicitamos à DGR um levantamento” das operações de crédito cujas garantias eram ações. E o levantamento veio a identificar que a CGD tinha já concedido 4,6 mil milhões de euros, adiantou Norberto Rosa. Faria de Oliveira já tinha revelado este número dado que coincidiu com o seu inÍcio de funções no banco público.

A partir daí, “a decisão tomada foi de reduzir o crédito com garantia de ações, de reduzir drasticamente essa situação”, adiantou Norberto Rosa, que disse que, entre 2008 e 2011, houve uma redução de 4,6 mil milhões para 2,9 mil milhões de euros.

Comentários ({{ total }})

Caixa só soube em 2008 que tinha 4,6 mil milhões em empréstimos com garantia de ações

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião