Camiões da Volkswagen aceleram para a bolsa. Empresa pretende encaixar 1,9 mil milhões com IPO

Intervalo de preço das ações da Traton situa-se entre 27 e 33 euros. Fabricante automóvel alemã vai usar o montante angariado na operação para investir em veículos elétricos.

A Volkswagen (VW) vai colocar em bolsa a unidade de camiões Traton no final do mês. O anúncio foi feito esta sexta-feira, sendo que esta é a segunda tentativa da fabricante de automóveis alemã de abrir o capital do negócio. A oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) poderá gerar um encaixe de 1,9 mil milhões de euros.

A oferta terá um preço entre 27 e 33 euros por ação, de acordo com o comunicado da VW ao mercado. O free float esperado situa-se entre 10% e 11,5%, o que representa uma postura mais conservadora da empresa alemã, que tinha em março sinalizado que poderia colocar no mercado um volume de ações de até 25% do capital da Traton.

O intervalo de preço avalia o negócio de camiões da VW entre 1.550 e 1.890 milhões de euros. O IPO vai ter início na próxima segunda-feira e dura até 27 de junho. A primeira negociação em duas bolsas, a Frankfurt Stock Exchange e a Nasdaq Stockholm, está marcada para o dia seguinte.

“Estamos confiantes que nos estamos a aproximar da meta final. Um grande esforço de equipa trouxe-nos até aqui. Acreditamos que a Traton é um investimento atrativo e o feedback que recebemos tanto de investidores como de analistas reforça esta convicção“, afirmou Andreas Renschler, CEO da Traton, em comunicado.

O encaixe financeiro da operação será utilizado pela VW para investir na transformação do negócio automóvel, incluindo o lançamento de dezenas de veículos elétricos. “Estou contente por termos atingido este marco no caminho do IPO da Traton. Estamos numa fase decisiva”, acrescentou Frank Witter, CFO da Volkswagen, acrescentando que “o IPO tem como objetivo criar valor para os acionistas”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Camiões da Volkswagen aceleram para a bolsa. Empresa pretende encaixar 1,9 mil milhões com IPO

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião