Fundo de Resolução com prejuízos de 106 milhões. “Buraco” já vai em 6,1 mil milhões

Com os prejuízos de 106 milhões de euros, mas principalmente o "cheque" para o Novo Banco, os recursos próprios do Fundo de Resolução ficaram ainda mais negativos.

O Fundo de Resolução agravou os prejuízos no ano passado. Perdeu 106 milhões de euros, resultado que agravou o “buraco” nas contas da entidade liderada por Máximo dos Santos. A somar ao “cheque” para o Novo Banco, os recursos próprios ficaram ainda mais negativos, ascendendo a 6.114 milhões de euros.

O resultado líquido do ano passado, um agravamento face aos 104 milhões negativos de 2017, traduz os juros dos empréstimos para “a medida de resolução aplicada ao BES e das medidas de resolução aplicadas ao Banif e o pagamento de comissões ao Estado pela contragarantia relativa à emissão de obrigações da Oitante”, explica o Fundo de Resolução.

Estes prejuízos de 106 milhões, dos quais “92 milhões de euros correspondem a valores entregues ou a entregar ao Estado”, nota o Fundo de Resolução, vieram agravar a situação líquida da entidade. “A 31 de dezembro de 2018 os recursos próprios do Fundo de Resolução apresentavam um saldo negativo de 6.114 milhões de euros”, refere o comunicado.

Houve um agravamento que é explicado, essencialmente, por “efeitos financeiros ainda decorrentes da aplicação de medidas de resolução, cujo valor global líquido, imputável ao exercício de 2018, ascendeu a -1.150 milhões de euros”, refere o fundo de Resolução. Esse efeito prende-se com o Novo Banco, que pediu mais 1.149 milhões de euros depois de mais um ano de prejuízos avultado, valor injetado a 9 de maio.

A atenuar o impacto negativo nos recursos do Fundo de Resolução estiveram as contribuições “provenientes, direta ou indiretamente, do setor bancário, cujo valor global ascendeu a 246 milhões de euros”, o que representou um aumento de 28 milhões de euros face ao registado em 2017.

(Notícia atualizada às 12h08 com mais informa)

Comentários ({{ total }})

Fundo de Resolução com prejuízos de 106 milhões. “Buraco” já vai em 6,1 mil milhões

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião