Governo antecipa “comportamento dinâmico” e possível aceleração do PIB

  • Lusa
  • 4 Julho 2019

PIB apresentou "comportamento dinâmico" e terá acelerado no segundo trimestre, referiu Pedro Siza Vieira. "Economia continua a crescer", assegurou o ministro.

O ministro Adjunto e da Economia, Pedro Siza Vieira, avançou no Parlamento, que o Produto Interno Bruto (PIB) português deverá registar um “comportamento dinâmico” no segundo trimestre e até uma possível aceleração.

“O comportamento da economia foi muito forte. Tivemos uma aceleração do crescimento do PIB no primeiro trimestre. Os dados que já temos disponíveis antecipam um comportamento dinâmico e provavelmente até uma aceleração, relativamente ao trimestre anterior”, assegurou Pedro Siza Vieira, numa audição parlamentar na Comissão de Economia, Inovação e Obras Públicas.

De acordo com o governante, esta projeção baseia-se num conjunto de indicadores, recolhidos até à data, com comportamento positivo.

“O emprego continua forte com os níveis mais altos desde algumas décadas e a taxa de desemprego voltou a baixar”, apontou.

"O comportamento da economia foi muito forte. Tivemos uma aceleração do crescimento do PIB no primeiro trimestre. Os dados que já temos disponíveis antecipam um comportamento dinâmico e provavelmente até uma aceleração, relativamente ao trimestre anterior.”

Pedro Siza Vieira

Ministro Adjunto e da Economia

Por outro lado, o nível de cobrança de impostos, relacionados com o crescimento da economia, “tem estado a subir bem” e o investimento encontra-se em “níveis muito fortes”, o que demonstra a “confiança dos vários setores”, como a indústria, construção civil e serviços. Adicionalmente, o turismo também tem apresentado resultados positivos.

“São dados fortes que nos mostram que a economia continua a crescer”, vincou.

O PIB português aumentou 1,8% no primeiro trimestre deste ano em termos homólogos, acima dos 1,7% do trimestre anterior, e subiu 0,5% em cadeia, conforme indicou, em maio, o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Nas Contas Nacionais Trimestrais, o INE confirmou os valores para o crescimento da economia portuguesa que tinha avançado na estimativa rápida publicada em 15 de maio.

No último trimestre do ano passado, a economia portuguesa tinha crescido 1,7% em termos homólogos e 0,4% em cadeia.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Governo antecipa “comportamento dinâmico” e possível aceleração do PIB

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião