Portugueses gastaram 8,5 milhões de euros por dia em jogos da Santa Casa. Metade foi em raspadinhas

Os jogos da Santa Casa continuam a atrair os portugueses, que gastaram mais de três mil milhões de euros em apostas no ano passado. Cada aposta custou, em média, 2,43 euros.

Os portugueses continuam a tentar a sua sorte. Gastaram mais de três mil milhões de euros em jogos da Santa Casa da Misericórdia em 2018, o que se traduz em cerca de 8,5 milhões de euros por dia. A escolha mais popular foi a raspadinha, correspondente a metade das vendas da entidade.

As vendas brutas dos Jogos Santa Casa (JSC) totalizaram 3.097 milhões de euros no ano passado, de acordo com o relatório e contas da entidade. Mas algumas apostas dos portugueses também foram vencedoras. Foram atribuídos 1.881 milhões de euros em prémios em 2018, ou seja, em média, os portugueses ganharam 36 milhões de euros por semana.

Os números dos jogos Santa Casa em 2018.Santa Casa da Misericórdia

Apesar de já ter mais de vinte anos, a raspadinha ganha cada vez mais espaço no coração dos jogadores. Em 2018, as vendas deste tipo de lotaria aumentaram 7,2% para 527 milhões de euros. O peso das raspadinhas nas vendas dos JSC tem também aumentado, passando a representar cerca de metade (51,5%), seguida por apostas mútuas, como o Euromilhões, que têm uma quota de 29,3%.

Apesar de os prémios poderem ascender a montantes milionários, muitas vezes o investimento é pequeno. O valor médio das apostas dos portugueses foi de 2,43 euros. Tendo em conta que a raspadinha pode custar entre um a dois euros, e jogos como o Totoloto e o Euromilhões rondam os dois ou três euros, os portugueses preferem os jogos que custam pouco, mas podem dar muito.

Foram registadas mais de mil milhões de apostas no ano passado. Os jogos tradicionais continuam a vingar, agora também com a ajuda da tecnologia, sendo que, no ano passado, foram feitos 513 mil downloads da app JSC e da app Placard. O primeiro jogo de apostas desportivas à cota da entidade, o Placard, já permite aos jogadores apostar através de um QR Code.

Foi apenas há quatro anos que o Placard foi adicionado ao catálogo dos jogos da Santa Casa, mas já conquistou vários adeptos. Os portugueses gastaram 527 milhões de euros neste jogo no ano passado.

A Santa Casa destaca que 97% do montante arrecadado com as vendas foi devolvido à sociedade, o equivalente a 1,5% do PIB. “Foram devolvidos à sociedade mais de três mil milhões de euros, destinados às áreas da ação social, saúde, desporto (em particular, desporto escolar), cultura, proteção civil e promoção da cidadania e da igualdade”, pode ler-se no relatório e contas.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Portugueses gastaram 8,5 milhões de euros por dia em jogos da Santa Casa. Metade foi em raspadinhas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião