TdC diz que nota é “reprodução fiel” a relatório crítico do Revita

  • ECO
  • 19 Julho 2019

O primeiro-ministro disse esta sexta-feira que os comunicados do TdC "costumam ser bastante mais dramáticos" que os relatórios em si, desvalorizando conclusões da auditoria.

O primeiro-ministro tentou desvalorizar o conteúdo crítico da auditoria do Tribunal de Contas (TdC) ao funcionamento do Fundo Revita. Esta sexta-feira, em entrevista à Rádio Observador, António Costa disse que “os press releases do TdC costumam ser bastante mais dramáticos do que aquilo que é a realidade efetiva do que consta dos relatórios”. Confrontado com essas afirmações por aquele órgão de comunicação, o TdC esclareceu que a nota em causa é “uma transcrição e reprodução fiel das conclusões e recomendações do relatório“.

“O Tribunal de Contas não fez nenhum comunicado, mas apenas uma nota de síntese do relatório, como faz para todos os relatórios, que é uma transcrição e reprodução fiel das conclusões e recomendações do relatório, não alterando em nada aquilo que são essas conclusões e recomendações”, afirmou o TdC, salientando contudo que “a nota não substitui a leitura do relatório”.

Esse esclarecimento surge no seguimento da divulgação dos resultados da auditoria do TdC à gestão do Revita, fundo criado pelo Governo para reunir a onda de solidariedade que se gerou depois dos incêndios em Pedrógão Grande e noutros concelhos vizinhos, em junho de 2017, que arrasam a forma como os donativos foram distribuídos.

Os auditores criticam a falta de critérios claros, apontam irregularidades e falam em falta de transparência, que faz com que não seja claro que os apoios tenham sido entregues apenas a quem, de facto, precisava — ou que foram usados para aquilo a que se destinavam.

Já nesta sexta-feira, em reação a essa auditoria o primeiro-ministro sublinhou que não viu “uma única acusação concreta de má utilização dos fundos”, mas apenas “suposições” e que as críticas à entrega de apoios ao setor agrícola, que não estavam previstos inicialmente, são de quem “não tem mesmo consciência do que é que se passava no terreno nessa altura”.

O Conselho de Gestão do Fundo Revita também reagiu às avaliações que consta da auditora do TdC, classificando-as esta sexta-feira de “imprecisas” e “incorretas”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

TdC diz que nota é “reprodução fiel” a relatório crítico do Revita

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião