Prioridade é “ter uma grande área metropolitana entre Porto e Lisboa”, diz Pedro Nuno Santos

  • ECO
  • 27 Julho 2019

Para o ministro das Infraestruturas, o país precisa de "uma ligação entre Lisboa e Porto com uma velocidade entre os 250 e os 300 km/hora".

“Não nos faz mal nenhum podermos sonhar”. As palavras são do ministro das Infraestruturas e da Habitação, que diz que o país precisa de “uma ligação entre Lisboa e Porto com uma velocidade entre os 250 e os 300 km/hora”. Em entrevista ao Público (acesso pago), Pedro Nuno Santos falou também do aeroporto do Montijo, afirmando que o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) significará a perda de “milhares de milhões de euros de receitas no setor do turismo e de exportações”.

Não se trata de alta velocidade, mas sim de velocidade. “Precisamos de uma ligação entre Lisboa e Porto com uma velocidade entre os 250 e os 300 km/hora“, disse o ministro, completando que “no dia em que a viagem entre Lisboa e o Porto poder ser feita em pouco mais de uma hora”, isso significará que o país está a mudar a forma como se organiza e como a economia se articula.

“Nós podemos ter uma grande área metropolitana entre Porto e Lisboa. Esta é a minha prioridade”, sublinhou Pedro Nuno Santos, acrescentando que “não nos faz mal nenhum podermos sonhar”.

Questionado se o EIA é um formalismo para o avanço do aeroporto do Montijo, o ministro respondeu de forma negativa. “Não é um formalismo. É o que determinará se o aeroporto do Montijo pode avançar ou não”, disse. Contudo, alertou que “isso significará um atraso muito significativo em perdas de milhares de milhões de euros de receitas no setor do turismo e de exportações”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Prioridade é “ter uma grande área metropolitana entre Porto e Lisboa”, diz Pedro Nuno Santos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião