Revista de imprensa internacional

Aeroporto de Hong Kong cancela todos os voos e há quem acuse Boris Johnson de reforçar gastos do Governo britânico para captar votos.

Os protestos no terminal principal de Hong Kong levaram ao cancelamento de todos os voos com origem nesse aeroporto. Do outro lado do oceano, florescem as críticas a Boris Johnson e os economistas atiram para lá de 2020 um acordo comercial entre Pequim e Washington. Tesla explode na Rússia.

BBC News

Aeroporto de Hong Kong cancela todos os voos face aos protestos

Os protestos contra o Governo chinês que estão a ter lugar no terminal principal do Aeroporto de Hong Kong levaram ao cancelamento de todos os voos. Em comunicado, é explicado que o funcionamento das operações foi perturbado por este movimento reivindicativo, daí que se tenha decidido interromper as partidas. As tensões escalaram, este fim de semana, depois de ter sido tornado público um vídeo que mostra a polícia a usar gás lacrimogéneo numa manifestação. Estes protestos já duram há mais de dois meses e são um dos principais desafios de Xi Jinping. Leia a notícia completa na BBC News (acesso livre, conteúdo em inglês).

Bloomberg

Boris Johnson acusado de aumentar despesa do Governo britânico para atrair votos

Em menos de três semanas, o novo primeiro-ministro britânico já prometeu gastar 2,5 mil milhões de libras nas prisões (para reforçar a luta contra o crime), 1,8 mil milhões de libras no sistema nacional de saúde e 2,1 mil milhões de libras na preparação de uma saída da União Europeia sem acordo. Em média, Boris Johnson tem anunciado, por semana, despesas na ordem dos dois mil milhões de libras por semana, o que tem levado os críticos a acusarem o líder do Executivo de se estar a preparar para eleições antecipadas. Isto porque Johnson tem uma maioria frágil no Parlamento e, se não conseguir apoio para os seus planos para o Brexit, arrisca uma ida às urnas. Leia a notícia completa na Bloomberg (acesso condicionado, conteúdo em inglês).

Reuters

Economistas já não acreditam que EUA consigam chegar a acordo comercial com a China este ano

Os economistas do Goldman Sachs já não acreditam que seja possível que os Estados Unidos cheguem a acordo comercial com a China antes das eleições presidenciais norte-americanas de 2020. Os especialistas notam ainda que estão a aumentar os receios de que a guerra comercial entre as duas maiores potências do mundo esteja a conduzir a economia para uma recessão. Leia a notícia completa na Reuters (acesso livre, conteúdo em inglês).

Politico

Parlamento italiano decide hoje quando votar moção de censura contra primeiro-ministro

Matteo Salvini, vice-primeiro-ministro italiano e líder da Liga, apresentou uma moção de censura contra o Executivo de coligação, que o seu partido integra em conjunto com o Movimento 5 Estrelas. Salvini tomou essa medida por considerar que a aliança já não é viável. A presidente do Senado irá, por isso, reunir-se esta segunda-feira com os líderes dos diversos grupos parlamentares para decidir quando será votada essa moção, o que deverá acontecer só a partir da próxima semana, adiantam fontes próximas do assunto. Leia a notícia completa no Politico (acesso livre, conteúdo em inglês).

TechCrunch

Tesla explode depois de acidente numa autoestrada russa

Uma viatura Tesla incendiou-se e explodiu, depois de uma colisão uma autoestrada perto de Moscovo, na Rússia. O condutor conseguiu escapar apenas com ferimentos, mas a viatura ficou destruída. O modelo do carro ainda não está confirmado, mas este problema é recorrente em todos os modelos disponibilizados pela marca de Elon Musk. Leia a notícia completa no TechCrunch (acesso livre, conteúdo em inglês).

Comentários ({{ total }})

Revista de imprensa internacional

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião