Jerónimo Martins soma e segue. Forte subida anima bolsa de Lisboa

A retalhista brilha na praça lisboeta, sendo a principal responsável pela subida do PSI-20. Desde o início do ano, os títulos da Jerónimo Martins já avançam mais de 45%.

Depois de dispara na última sessão de agosto, a Jerónimo Martins está a entrar com o “pé direito” em setembro, dando um forte contributo para a valorização do índice principal da praça portuguesa, isto num dia de ganhos na generalidade dos índices da Europa.

A retalhista está a avançar 2,47% para 15,38 euros naquela que é a primeira sessão de setembro, liderando destacada os ganhos na praça portuguesa que, assim, apresenta uma subida de 0,5% para 4.911 pontos. Na Europa, a tendência é idêntica.

Jerónimo Martins brilha em bolsa

Já no final da semana passada a dona do Pingo Doce tinha registado uma forte valorização, isto depois da revisão em alta da avaliação para a retalhista por parte do Goldman Sachs. De acordo com a Reuters, o grupo financeiro com sede em Nova Iorque aumentou o preço-alvo de 14 para 16,50 euros, elevando a recomendação de “neutral” para “comprar”.

Na base da revisão em alta estão as estimativas de vendas da Jerónimo Martins, especialmente na Polónia, onde está presente através da Biedronka. Recorde-se que nos primeiros seus meses do ano, as vendas líquidas do grupo aumentaram 5,7% para 8,9 mil milhões de euros no primeiro semestre do ano. Numa base comparável like-for-like (LFL), excluindo novos negócios, aberturas e desinvestimentos, o aumento foi de 3,9% no semestre.

Com esta subida em bolsa, a Jerónimo Martins acentua ainda mais a subida desde o início do ano. O ganho acumulado pela empresa liderada por Pedro Soares dos Santos supera os 45%, o que coloca a retalhista na liderança das valorizações na bolsa de Lisboa.

Comentários ({{ total }})

Jerónimo Martins soma e segue. Forte subida anima bolsa de Lisboa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião