Porto vai ter mais 456 quartos para estudantes em 2020. UHUB investe 20 milhões

Porto vai ter mais 456 quartos, com wc privado, no início do próximo ano letivo 2020/2021. Objetivo é responder à reduzida oferta de alojamentos para estudantes universitários que existe na Invicta.

Uma das maiores residências universitárias do país está a ser construída perto do Polo Universitário da Asprela, no Porto. Será composta por dois núcleos independentes e vai contar com 456 suites e estúdios individuais de diferentes preços e tipologias, distribuídos por 10 pisos, numa área total de 13 mil metros quadrados.

O investimento pertence ao grupo UHUB Investments e está avaliado em mais de 20 milhões de euros. Está prevista que a residência universitária seja inaugurada no início do próximo ano letivo, adiantou ao ECO fonte da Gabriel Couto, construtora responsável pela obra.

Jaime Antunes, um dos investidores e administrador do UHUB Investments, destaca que o objetivo é responder à reduzida oferta de alojamentos para estudantes na Invicta. “As universidades do Porto começam a ter dificuldades em atrair estudantes estrangeiros, porque não têm uma solução de residência razoável para os estudantes que se deslocam de outros países para Portugal”, refere.

A zona da Areosa é uma das localizações que concentra o maior número de estudantes universitários. Atualmente já existe uma escassez na oferta e com este investimento a UHUB “pretende aumentar a oferta disponível no mercado e dotar a cidade do Porto de um equipamento de inegável valor estratégico para a cidade e especialmente para as universidades”, destaca Jaime Antunes.

As universidades do Porto começam a ter dificuldades em atrair estudantes estrangeiros, porque não têm uma solução de residência razoável para os estudantes que se deslocam de outros países para Portugal.

Jaime Antunes

Investidor e administrador do UHUB Investments

Trata-se de uma residência projetada apenas para estudantes universitários, portugueses e estrangeiros, de um segmento médio e médio alto. Todas as suites e estúdios são individuais e têm casa de banho privativa. Para cada oito suites há uma cozinha comum e sala de estar. O edifício contará ainda com ginásio, salas de estudo e áreas comuns. A residência universitária disponibilizará serviços como lavandaria e serviços de limpeza, tudo gerido a partir da unidade de operação e gestão do empreendimento.

A UHUB Investments SA, empresa de capitais totalmente portugueses, está a construir uma residência em Lisboa na Avenida do Colégio Militar, junto ao Centro Comercial Colombo. Jaime Antunes adiantou ao ECO que já em fase de licenciamento duas outras grandes residências universitárias, em Lisboa e outra no Porto, que visa aumentar a oferta nestas duas grandes cidades, num total de 1.100 quartos.

 

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Porto vai ter mais 456 quartos para estudantes em 2020. UHUB investe 20 milhões

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião