Elastron: quando a Louis Vuitton compra tecidos no norte de Portugal

  • Fátima Castro
  • 8 Setembro 2019

É um dos maiores fornecedores de revestimentos para a indústria dos estofos. Já foi distinguida pela Bolsa de Valores de Londres e prevê fechar o ano com uma faturação de 50 milhões de euros.

Peles, tecidos, sintéticos e microfibras. A Elastron é um dos maiores fornecedores de revestimentos para a indústria de estofos na Europa. Com 41 anos de história, dedica-se ao desenvolvimento e comercialização de artigos que vão desde a pele natural aos tecidos e microfibras. A sede, localizada em Paços de Ferreira, direciona-se para a indústria dos estofos e exporta para mais de 80 países em todo o mundo.

Entre os visitantes habituais — que direta ou indiretamente negoceiam com a empresa — estão marcas e estilistas internacionais como Louis Vuitton, Prada, Carolina Herrera, Hugo Boss, entre muitas outras. “São clientes nossos que fornecem essas grandes marcas”, explica José Oliveira.

A Europa representa cerca de 80% das vendas, sendo Portugal, Itália, Espanha, Alemanha e Polónia os seus principais mercados da Elastron. A exportação representa mais de 60% das vendas para a empresa, que prevê fechar o ano com uma faturação superior a 50 milhões de euros, o que representa um crescimento de 20% face ao ano passado.

A Elastron é também uma referência no mercado nacional da indústria do calçado, setor que representa 15% da faturação total do grupo. Em contrapartida, o setor dos estofos tem um grande peso para a empresa, ao representar 85% da faturação total. José Oliveira, que está ligado ao negócio há mais de 19 anos, explica que o negócio do calçado está ao comando do irmão e sócio, Humberto Oliveira, enquanto a indústria dos estofos está nas mãos do próprio.

Queremos replicar o que fizemos nos estofos no setor do calçado”, assinala, adiantando que, apesar do setor do calçado representar 15% do negócio, a ideia é que este passe a ser uma referência europeia ou até mesmo mundial.

A Elastron fornece indiretamente as maiores marcas e fabricantes de sofás.

José Oliveira

CEO da Elastron

Além da fábrica de catálogos existente em Paços Ferreira, o grupo Elastron prepara-se para abrir um novo conceito de loja física, no próximo ano. As novidades não ficam por aqui e, no final de 2019, a empresa nortenha vai lançar uma loja online. Com 180 colaboradores, 134 dos quais em Portugal, a Elastron criou réplicas da unidade de negócio de Paços Ferreira, em Espanha, na Alemanha e na China. A Elastron Spain surge em 2015 com o objetivo de reforçar a presença no mercado espanhol e estar mais próxima dos clientes.

Face ao crescimento do grupo, no ano seguinte a empresa decidiu abrir a segunda sucursal, uma unidade na Alemanha. Segundo José Oliveira, o mercado alemão é bastante importante para a Elastron e a previsão é de que continue a crescer. “Estamos com expectativas altas em aumentar o número de vendas no mercado alemão”, refere.

Elastron salta em direção à China

Em 2018, a empresa dá um salto em direção ao mercado asiático e cria a Elastron China. “É um mercado com um potencial gigante”, sublinha José Oliveira, acrescentando que está convicto de que será “um dos mercados que vai registar maior crescimento“.

Face ao potencial do mercado asiático, José Oliveira confidenciou ao ECO que vai abrir, no segundo semestre do próximo ano, a primeira loja física na Ásia. Atualmente a Elastron já conta com uma equipa de 20 colaboradores na China, dos quais quatro são portugueses. Já têm uma delegação em Xangai e um armazém numa zona mais industrial.

Uma das mais inspiradoras de Portugal

Em 2017, a bolsa de valores de Londres distinguiu a Elastron e incluiu a empresa nortenha na lista das dez empresas mais inspiradoras de Portugal. O estudo foi realizado com base no ritmo de crescimento no triénio de 2013 a 2016. “A Elastron foi uma das dez empresas que mais cresceu em Portugal nesse triénio”, destaca José Oliveira. Há dez anos, a Elastron tinha um volume de faturação na ordem dos 450 mil euros: este ano, deverá chegar a uma faturação superior a 50 milhões de euros.

Notícia corrigida no domingo às 22h15. O grupo Elastron não é um dos maiores fabricantes de estofos, mas sim um dos maiores fornecedores de revestimentos para a indústria dos estofos. Pelo lapso, pedimos desculpa aos visados e aos nossos leitores.

Comentários ({{ total }})

Elastron: quando a Louis Vuitton compra tecidos no norte de Portugal

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião