Mais de 15.700 eleitores inscreveram-se num só dia para voto antecipado

  • Lusa
  • 23 Setembro 2019

Para as próximas legislativas, e apenas no primeiro dia do prazo, até às 23h59 de domingo, o número de inscritos para votar foi de 15.742, segundo dados da Secretaria-Geral do MAI.

Mais de 15.700 eleitores inscreveram-se, num só dia, no voto antecipado para as eleições legislativas de 6 de outubro, informou esta segunda-feira a Secretaria-Geral do Ministério da Administração Interna (SGMAI).

A primeira vez que este mecanismo foi usado, nas eleições europeias de 26 de maio, mais de 19.500 pessoas inscreveram-se para votar antecipadamente e 85% exerceram o seu direito de voto, segundo afirmou à Lusa a secretário da Estado adjunta e da Administração Interna, Isabel Oneto, há duas semanas.

Para as próximas legislativas, e apenas no primeiro dia do prazo, até às 23h59 de domingo, o número de inscritos para votar foi de 15.742, segundo um relatório divulgado esta segunda-feira pelo SGMAI no seu “site”, com informações e números sobre o processo eleitoral das eleições legislativas.

Os distritos que lideram os pedidos de votação antecipada – no dia 29 de setembro – são os dois maiores, Lisboa (6.291) e o Porto (2.693).

Estes números serão atualizados diariamente no “site” do SIGMAI (www.sg.mai.gov.pt), na janela (ou “banner”) “Administração Eleitoral”.

Depois das europeias de maio, as legislativas vão testar novamente a participação dos emigrantes com o novo universo eleitoral, que com o recenseamento automático para os residentes no estrangeiro passou de cerca de 300 mil eleitores para mais de 1,4 milhões.

Em 12 de setembro, a secretária de Estado adjunta e da Administração Interna afirmou que o número de mesas para o voto antecipado, em 29 de setembro, vai aumentar nas legislativas para evitar as filas registadas em maio nas europeias em Lisboa e Porto.

Isabel Oneto disse que foram procurados “espaços com maior dimensão”, nas duas maiores cidades, para serem colocadas “mais mesas de voto”, de acordo com aquilo que forem “as inscrições dos eleitores”.

Além disso, cada mesa do voto antecipado em mobilidade terá 500 eleitores inscritos, em vez dos habituais 1.500, para tentar “garantir que não há mais filas”, justificou Isabel Oneto, que tem a expectativa de, nas legislativas de 6 de outubro, aumentar o número de pessoas a pedir para votar uma semana antes, que foram cerca de 20 mil nas europeias de maio.

Como a lei não obriga que as mesas de voto funcionem na sede do município, a administração eleitoral, explicou Isabel Oneto, procurou agora espaços maiores: em Lisboa, a votação será da Reitoria da Universidade de Lisboa, e, no Porto, no pavilhão do Centro Cultural e Desportivo dos Trabalhadores da Câmara Municipal do Porto.

Até quinta-feira, os eleitores residentes em território nacional devem manifestar a vontade de votar antes através da plataforma (https://www.votoantecipado.mai.gov.pt/) ou pedir por via postal, enviada à Secretaria-Geral do Ministério da Administração Interna, Praça do Comércio, Ala Oriental, 1149-015 Lisboa.

No caso de ser usado o portal, o preenchimento é eletrónico e se o pedido seguir por carta o portal do eleitor tem um folheto explicativo (https://www.portaldoeleitor.pt/Documents/Legislativas%202019/Voto%20Antecipado_Mobilidade.pdf) em que disponibiliza uma minuta para o fazer.

A possibilidade de voto antecipado foi aberta com a mais recente alteração à lei que permite essa possibilidade uma semana antes da data de uma eleição.

As legislativas para eleger os 230 deputados à Assembleia da República estão marcadas para 06 de outubro. Concorrem a esta eleição, a 16.ª em democracia, um número recorde de forças políticas – 20 partidos e uma coligação.

O ECO recusou os subsídios do Estado. Contribua e apoie o jornalismo económico independente

O ECO decidiu rejeitar o apoio público do Estado aos media, porque discorda do modelo de subsidiação seguido, mesmo tendo em conta que servirá para pagar antecipadamente publicidade do Estado. Pelo modelo, e não pelo valor em causa, cerca de 19 mil euros. O ECO propôs outros caminhos, nunca aceitou o modelo proposto e rejeitou-o formalmente no dia seguinte à publicação do diploma que formalizou o apoio em Diário da República. Quando um Governo financia um jornal, é a independência jornalística que fica ameaçada.

Admitimos o apoio do Estado aos media em situações excecionais como a que vivemos, mas com modelos de incentivo que transfiram para o mercado, para os leitores e para os investidores comerciais ou de capital a decisão sobre que meios devem ser apoiados. A escolha seria deles, em função das suas preferências.

A nossa decisão é de princípio. Estamos apenas a ser coerentes com o nosso Manifesto Editorial, e com os nossos leitores. Somos jornalistas e continuaremos a fazer o nosso trabalho, de forma independente, a escrutinar o governo, este ou outro qualquer, e os poderes políticos e económicos. A questionar todos os dias, e nestes dias mais do que nunca, a ação governativa e a ação da oposição, as decisões de empresas e de sindicatos, o plano de recuperação da economia ou os atrasos nos pagamentos do lay-off ou das linhas de crédito, porque as perguntas nunca foram tão importantes como são agora. Porque vamos viver uma recessão sem precedentes, com consequências económicas e sociais profundas, porque os períodos de emergência são terreno fértil para abusos de quem tem o poder.

Queremos, por isso, depender apenas de si, caro leitor. E é por isso que o desafio a contribuir. Já sabe que o ECO não aceita subsídios públicos, mas não estamos imunes a uma situação de crise que se reflete na nossa receita. Por isso, o seu contributo é mais relevante neste momento.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Mais de 15.700 eleitores inscreveram-se num só dia para voto antecipado

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião