Mutualista Montepio marca para 4 novembro assembleia-geral de revisão de estatutos

  • Lusa
  • 2 Outubro 2019

à reunião magna dos associados da mutualista Montepio está marcada para 4 de novembro às 21h00, no Coliseu dos Recreios, em Lisboa. Vai discutir a votar os novos estatutos.

A Associação Mutualista Montepio Geral (AMMG) marcou para 4 de novembro a assembleia-geral de discussão e votação da proposta de alteração dos estatutos, para que os seus estatutos fiquem em linha com o novo código mutualista.

Segundo o anúncio da assembleia-geral publicado na imprensa, a reunião magna dos associados da mutualista Montepio – marcada para 4 de novembro às 21h00, no Coliseu dos Recreios, em Lisboa – tem dois pontos na ordem de trabalhos, sendo o primeiro “discutir e votar o projeto de alteração parcial dos estatutos do Montepio Geral – Associação Mutualista”.

Esta proposta foi elaborada pela comissão de revisão de estatutos, eleita em março, e esteve já em análise pelo Ministério do Trabalho, pelo que a convocatória da assembleia-geral significa que o Governo deu luz verde à proposta, que terá agora de ser obrigatoriamente analisada e votada pelos associados.

A ordem de trabalhos tem ainda um segundo ponto, votando a assembleia-geral a nomeação de uma “comissão especial para a elaboração de um regulamento eleitoral dedicado à regulamentação do processo eleitoral dos órgãos e cargos associativos”.

No ano passado, foi aprovado e publicado o novo Código das Associações Mutualistas, que prevê, para as mutualistas maiores, como a Montepio, desde logo a alteração do modelo de governação, com existência de quatro órgãos, eventualmente cinco: mesa da assembleia-geral, Conselho Fiscal, Conselho de Administração (três já existentes), Conselho Geral (atualmente existe, mas pode desaparecer) e Assembleia de Representantes (terá de ser criada).

A Assembleia de Representantes (obrigatória para mutualistas com mais de 100 mil associados) terá de ser eleita por método proporcional.

Este órgão será muito importante, uma vez que é uma espécie de parlamento que será responsável por decidir sobre muitas das questões que, atualmente, vão a assembleia-geral, como as contas de cada ano e o programa de ação e o orçamento do ano seguinte.

Uma vez que a Assembleia de Representantes atualmente não existe na Mutualista Montepio terá de ser eleita.

A AMMG, com mais de 600 mil associados, é o topo do grupo Montepio e tem como principal empresa subsidiária o Banco Montepio, que desenvolve o negócio bancário.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Mutualista Montepio marca para 4 novembro assembleia-geral de revisão de estatutos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião