Tapete rolante dá indemnização de 18 mil euros em Santo Tirso

  • ECO Seguros
  • 2 Outubro 2019

Um hipermercado de Santo Tirso e a sua seguradora vão compensar mulher que escorregou e caiu num tapete rolante desligado em dia de chuva.

Uma mulher que fraturou o tornozelo e ficou com sequela físicas e psicológicas permanentes após uma queda num tapete rolante molhado num hipermercado de Santo Tirso, recebeu uma indemnização de 18 mil euros.

Segundo conta o Jornal de Notícias, a decisão foi tomada pelo Tribunal da Relação do Porto depois de, em primeira instância, o tribunal ter absolvido o hipermercado. Após recurso, a Relação atribuiu à mulher uma indemnização de 5500 euros por danos não patrimoniais e 12 mil euros por “danos biológicos”. Além disso, a vítima receberá também 386,46 euros gastos em consultas, medicamentos e tratamentos.

A indemnização será paga pelo hipermercado e respetiva companhia de seguros. Os juízes consideraram que a unidade comercial “não curou de manter limpo de água, num dia de chuva, o tapete rolante que mantinha à disposição do público, não tendo, além disso, tornado o espaço inacessível ou avisado os utentes da existência de piso escorregadio e risco de queda”.

O acidente aconteceu em novembro de 2014, num tapete rolante desligado, quando a mulher ia depositar materiais recicláveis nos contentores que existiam para o efeito no piso subterrâneo do espaço comercial. Quer o hipermercado quer a seguradora argumentaram que a passagem se encontrava limpa e que mais clientes a utilizaram sem que tenham sentido qualquer problema de equilíbrio ou sofrido qualquer percalço.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Tapete rolante dá indemnização de 18 mil euros em Santo Tirso

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião