Portugal vai emitir até 1.250 milhões de euros a três e 11 meses

Com os juros da dívida longa próximos de mínimos históricos, Portugal tem conseguido persistentemente financiar-se a curto prazo com yields negativas. Esta será a última colocação de BT em 2019.

Portugal vai realizar, na próxima quarta-feira, a última emissão de dívida de curto prazo deste ano. A Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública – IGCP confirmou esta sexta-feira que vai realizar um leilão duplo de Bilhetes do Tesouro (BT) a três e 11 meses.

“O IGCP, E.P.E. vai realizar no próximo dia 16 de outubro pelas 10h30 dois leilões das linhas de BT com maturidades em 17 de janeiro de 2020 e 18 de setembro de 2020, com um montante indicativo global entre 1.000 milhões e 1.250 milhões de euros“.

Com os juros da dívida de longo prazo próximos de mínimos históricos, Portugal tem conseguido persistentemente financiar-se a curto prazo com yields negativas. A última vez que o país emitiu BT a três e 11 meses foi a 21 de agosto tendo, na altura, conseguido juros abaixo de -0,50% para colocar 1.000 milhões de euros.

No prazo mais longo, Portugal colocou 750 milhões de euros com uma taxa de juro de -0,557% e uma procura 2,05 superior à oferta. Já no caso dos títulos com maturidade mais curta, foram emitidos outros 250 milhões de euros com uma yield de -0,563 e uma procura 4,36 vezes acima da oferta.

Este novo leilão irá também acontecer na mesma semana em que Portugal vai fazer mais um reembolso antecipado dos empréstimos da troika. Depois de a dívida ao Fundo Monetário Internacional estar paga, começa agora o pagamento aos credores europeus.

O secretário de Estado Adjunto e das Finanças Ricardo Mourinho Félix anunciou esta terça-feira que Portugal vai pagar na próxima semana o reembolso antecipado de dois mil milhões de euros ao Fundo Europeu de Estabilização Financeira (FEEF). A data para o pagamento antecipado ainda não está fechada, mas é certo que será “já em outubro”, devendo ocorrer entre os dias 15 e 17, disse o secretário de Estado à Lusa.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Portugal vai emitir até 1.250 milhões de euros a três e 11 meses

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião