DBRS melhora rating da Madeira. Mantém o dos Açores

  • Lusa
  • 12 Outubro 2019

Depois de subir o rating da dívida da República, a agência canadiana DBRS subiu o rating da Madeira e manteve o dos Açores.

A agência de notação DBRS Morningstar melhorou na sexta-feira o rating da dívida da Região Autónoma da Madeira (RAM) e reiterou o dos Açores (RAA), mudando a tendência da primeira para estável e mantendo a segunda nesta classificação.

Em comunicado, a agência atribuiu a melhoria da nota da dívida da Madeira, de BB para BB (alto), à que tinha sido feita à da República, em 4 de outubro último, de BBB para BBB (alto), a qual, contudo, foi insuficiente para um resultado similar no da açoriana.

A DBRS Morningstar adiantou que a nota da RAM permanece sustentada na progressiva estabilização financeira, verificada nos últimos anos, e na melhoria dos indicadores de dívida, no controlo financeiro e apoio dado pelo Governo da República e pela crescente transparência orçamental das suas responsabilidades.

Já no caso dos Açores, a manutenção do rating em BBB (baixo), com perspetiva estável, foi justificada explicitamente pela agência de notação pela insuficiência de a melhoria do rating da República provocar a mesma decisão em relação à nota da dívida da RAA.

A nota da dívida açoriana foi justificada pelo desempenho financeiro estável nos últimos cinco anos, pelo aumento marginal do rácio da dívida e pela inclusão no perímetro orçamental de rubricas relativas a serviços públicos, que estavam em empresas públicas regionais.

Entre os desafios estruturais da RAA, a DBRS Morningstar singularizou a transportadora aérea SATA entre várias empresas regionais, que continuam a apresentar fracos resultados financeiros, negativos inclusive, e a afetar a capacidade creditícia da região.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

DBRS melhora rating da Madeira. Mantém o dos Açores

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião