Speaker do Parlamento britânico recusa votação do acordo do Brexit hoje

O acordo do Brexit não será votado no Parlamento britânico hoje, decidiu o speaker John Bercow.

Depois de no sábado passado a votação sobre o acordo de saída do Reino Unido da União Europeia (UE) não ter avançado, também não será esta segunda-feira que isso irá acontecer. O speaker do Parlamento britânico, John Bercow, recusou voltar a colocar a moção a votos, devido a uma regra que dita que não se pode repetir uma votação a não ser que algo significante se tenha alterado.

“A minha decisão é que a moção não será debatida hoje, pois seria repetitivo e desordeiro fazê-lo“, anunciou John Bercow, na Câmara dos Comuns. Sugeriu então que o Governo britânico apresentasse a legislação sobre o acordo de saída da UE, que deverá ser votada na próxima terça-feira.

Boris Johnson tinha nos planos a votação do acordo que alcançou com Bruxelas no sábado passado, mas antes disso foi apresentada uma moção que ditava a suspensão da votação desses termos até que toda a legislação necessária à sua aplicação esteja preparada e aprovada.

Como o acordo não foi aprovado até 19 de outubro, o primeiro-ministro britânico viu-se obrigado a pedir um adiamento do Brexit à UE, isto devido a uma lei aprovada pelos deputados britânicos em setembro. Apesar de ter cumprido o requisito, a carta enviada à UE não foi assinada, e Boris Johnson enviou também outra missiva, onde aponta que o Governo britânico não quer prolongar o Brexit.

O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, já sinalizou que o pedido de extensão chegou, no seu perfil no Twitter. Tusk adiantou também que iria consultar os líderes europeus para decidir como reagir ao pedido de Boris Johnson, de adiar o Brexit por três meses.

(Notícia atualizada às 16h30)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Speaker do Parlamento britânico recusa votação do acordo do Brexit hoje

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião