Portugal Fashion regressa ao Porto com uma novidade. É permitida a venda ao público

A 45.ª edição conta com o showroom Brand Up, que inclui propostas de vestuário, calçado, joalharia, ourivesaria, acessórios e produtos lifestyle. É a primeira vez que é permitida venda ao público. 

A Alfândega do Porto, a Casa de Serralves e a Tipografia do Conto abrem, esta quarta-feira, as portas para receber as coleções de autores de alguns dos principais criadores portugueses. Entre 23 e 26 de outubro será possível ver 30 desfiles de criadores portugueses e jovens designers internacionais.

Nomes conceituados no mundo da moda como Diogo Miranda, Estelita Mendonça, Carla Ponte, Miguel Vieira, Alexandra Moura, Fly London, Inês Torcato, Luís Buchinho, Maria Gambina, Hugo Costa, Marques’ Almeida, Katty Xiomara e Sophia Kah vão apresentar as suas propostas na 45.º edição do Portugal Fashion primavera / verão 2020.

E enquanto os modelos desfilam na passerelle, em paralelo realiza-se o showroom Brand Up, que inclui propostas de vestuário, calçado, joalharia, ourivesaria, acessórios, marroquinaria e produtos lifestyle. É a primeira vez que é permitida a venda ao público.

“O Portugal Fashion começou por ter um showroom profissional muito destinado a complementar aquilo que são as apresentações de moda e os desfiles. Esse showroom foi crescendo, começou a despertar um interesse cada vez maior, começou a funcionar como uma mostra pública e, neste momento, transformou-se num mercado que acaba por ser uma montra daquilo que o Portugal Fashion é enquanto agregador de um conjunto de parcerias com outras associações e entidades que a fileira da moda consegue abarcar”, explica ao ECO, Mónica Neto, project leader do Portugal Fashion.

A moda em Portugal pode ajudar a posicionar o país, a atrair mais talento, mais turismo e mais negócio. 

Mónica Neto

Project leader do Portugal Fashion

Nesta edição são esperados cerca de 40 mil visitantes de várias nacionalidades. “Os eventos de outubro e março são grandes âncoras de promoção não só a nível nacional como internacional, são momentos chave que mostram aquilo que fazemos“, destaca Mónica Neto.

A project leader do Portugal Fashion considera que a moda enquanto setor de atividade é “fulcral para o desenvolvimento económico do país” uma vez que “envolve muitos colaboradores e muitos criativos”.

“A moda pode ser uma forma muito interessante de Portugal se posicionar internacionalmente não só como um país que tem indústria, mas também como um país que é capaz de criar e desenvolver com criatividade”, acrescenta a responsável. Mónica Neto reconhece que o facto de o Portugal Fashion participar em semanas de moda internacionais como tem acontecido nos últimos tempos é uma forma “de ombrear nomes que são conhecidos pelo design e pelo valor acrescentado e não só pela indústria”.

Entre 2015 e 2017, o Portugal Fashion recebeu oito milhões de euros do Compete e entre o ano passado e este ano recebeu, até ao momento, mais cinco milhões de euros, de acordo com Mónica Neto.

O Portugal Fashion é um projeto da responsabilidade da Associação Nacional de Jovens Empresários (ANJE), financiado pelo Portugal 2020 e desenvolvido em parceria com a Associação Têxtil e Vestuário de Portugal (ATP), a Moda Lisboa, a Associação Portuguesa de Calçado (Apicapps), entre outros.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Portugal Fashion regressa ao Porto com uma novidade. É permitida a venda ao público

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião