2019 já passou. Veja as pontes e feriados de 2020

No próximo ano vai haver quatro fins de semana prolongados e quatro oportunidades para fazer a chamada "ponte".

2019 já passou. Está, assim, na hora de começar a olhar para o calendário de 2020, para planear as próximas pausas. No próximo ano terá quatro fins de semana prolongados e quatro pontes.

Ver a agenda para o próximo ano também pode ser proveitoso para quem dedica parte do tempo livre a viajar, já que tanto para marcar voos como hotéis conseguem-se melhores preços se se procurar com antecedência.

Olhando para 2020, o primeiro fim de semana prolongado a que terá direito é na Páscoa. A sexta-feira Santa celebra-se a 10 de abril. Este ano o 25 de abril calha a um sábado, portanto o próximo feriado a aproveitar que se cola ao fim de semana é o 1.º de maio, dia do trabalhador, na sexta-feira.

Depois é só em outubro que há outra pausa grande. É no dia da Implantação da República, 5 de outubro, que cai numa segunda-feira. Finalmente, quase a terminar o ano, poderá aproveitar mais tempo no Natal. O dia 25 de dezembro é uma sexta-feira.

Já no que diz respeito às pontes, uma delas é no carnaval, a 25 de fevereiro, terça-feira. Apesar de não ser um feriado oficial, muitas empresas dão o dia. Mais à frente, em junho, há uma oportunidade para conseguir cinco dias seguidos de descanso. Este ano os feriados de Portugal e do Corpo de Deus são em dias seguidos, 10 e 11 de junho, quarta e quinta-feira, permitindo fazer ponte à sexta-feira.

As últimas oportunidades para fazer ponte chegam apenas no último mês do ano. É a 1 e 8 de dezembro, dias da Restauração da Independência e da Imaculada Conceição, que calham ambos a uma terça-feira. Poderá então tirar a segunda-feira e prolongar a pausa.

(Notícia atualizada a 30 de dezembro de 2020)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

2019 já passou. Veja as pontes e feriados de 2020

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião