Barcelona é o destino preferido para os portugueses que querem estudar na Europa. Rendas dos quartos rondam os 460 euros

Espanha é o país preferido dos estudantes portugueses quando querem estudar na Europa, mas Itália também conquista muitos alunos. Saiba quais são as cinco cidades europeias com mais portugueses.

Há cada vez mais estudantes a continuarem os estudos fora de Portugal, principalmente quando o destino é o país vizinho. De acordo com a Uniplaces, Barcelona e Madrid são as duas cidades preferidas dos estudantes, concentrando cerca de 50% dos alunos que vão para fora. As rendas, claro, são mais elevadas do que no Porto ou em Lisboa, com os valores dos quartos a rondarem os 450 euros por mês.

Conhecida pela arte e pela arquitetura, Barcelona conquista cada vez mais estudantes portugueses. De todos os jovens que procuraram um alojamento numa cidade estrangeira, 31% foram viver para a capital cosmopolita da Catalunha, revela a Uniplaces. Aqui, o valor médio de um quarto numa casa compartilhada é de 464 euros por mês.

O preço é um dos principais motivos que levam Barcelona a brilhar no top das preferências dos estudantes no estrangeiro, assim como a proximidade geográfica. “No último ano, o alojamento em Barcelona foi o que recebeu um maior número de reservas pelos portugueses na nossa plataforma. Nesse sentido, o nosso objetivo é aumentar e diversificar a oferta disponível, para que os estudantes portugueses consigam encontrar ainda mais opções de alojamento seguras e com todas as comodidades necessárias“, diz Carolina Almeida, CMO da Uniplaces em Portugal, citada em comunicado.

Barcelona é o destino europeu preferido dos estudantes portugueses na hora de estudar no estrangeiro.

Atrás de Barcelona vem outra cidade espanhola. Madrid aparece com o segundo destino europeu preferidos pelos jovens, concentrando 19% de todos os que rumam ao estrangeiro para estudar. Na capital espanhola arrendar um quarto custa, em média, 463 euros. Para a Uniplaces, “Espanha é o país europeu que apresenta opções de quarto e casa em mais cidades”, nomeadamente em Barcelona, Madrid, Valência, Granada, Sevilha, Salamanca, Málaga e Alicante.

Ainda no top dos destinos preferidos para estudar na Europa está Milão, a cidade europeia da moda. Para a plataforma de reserva de alojamento, esta procura deve-se ao “facto de algumas universidades desta cidade terem sido incluídas no ranking das melhores universidades do mundo pela qualidade da educação”. Nesta cidade italiana, um quarto custa bem mais: em média 613 euros por mês.

Mas a Alemanha também é procurada pelos alunos portugueses, com a capital a destacar-se. Berlim é um destino bastante procurado e onde os quartos são bem mais caros do que em Barcelona ou Madrid. Ainda assim, são mais baratos do que em Milão: em média 522 euros por mês.

A fechar este top 5 está outra cidade italiana. Roma também é um destino procurado pelos estudantes portugueses, que pagam, em média, 490 euros por um quarto numa casa partilhada. Roma tem rendas estudantis mais caras do que Barcelona ou Madrid, mas mais baratas do que Berlim.

“Outras cidades europeias como Valência, Londres, Florença, Paris, Bolonha e Munique apresentam também bastante procura por parte dos portugueses”, remata a CMO da Uniplaces em Portugal.

Em Portugal, de acordo com os dados da Uniplaces, apurados até agosto, as rendas dos quartos para estudantes tinham subido tanto em Lisboa como no Porto. Na capital, o preço subiu para os 399,56 euros, enquanto na invicta escalou para os 299,16 euros, verificando-se subidas de 7,6% e de 5,6%, respetivamente.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Barcelona é o destino preferido para os portugueses que querem estudar na Europa. Rendas dos quartos rondam os 460 euros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião