Solução para os emigrantes lesados do BES já está em marcha

A oferta para a recompra das ações preferenciais do EG Premium já arrancou, permitindo aos emigrantes lesados que aplicaram 75 milhões de euros no EG Premium recuperarem parte desse valor.

Os emigrantes lesados do BES estão mais próximos de recuperar parte das perdas sofridas pelo investimento no produto financeiro EG Premium (EGP). A solução alcançada entre a Associação Movimento Emigrantes Lesados Portugueses (AMELP ) e a entidade emitente, EGP, mediada pelo Novo Banco, passa pela recompra das ações preferenciais aos emigrantes que aplicaram cerca de 75 milhões de euros neste produto, pensando tratar-se de simples depósitos a prazo. O arranque da oferta de recompra foi anunciado esta quarta-feira em comunicado enviado à CMVM.

“A EG Premium Investment (sociedade emitente das Ações Preferenciais constituída nas Ilhas Virgens Britânicas e registada com o número de matrícula 625742) lançou uma oferta, voluntária e particular, de aquisição das referidas Ações Preferenciais, de 6 de novembro de 2019 até 8 de janeiro de 2020“, dá nota o documento publicado no site do regulador do mercado de capitais.

Este anúncio confirma o que o Jornal Económico já tinha avançado esta quarta-feira. Luís Marques, presidente da AMELP, revelou a existência de “uma proposta que vai ser apresentada pelo Novo Banco, na sequência de reuniões com o banco e a EGP, que contaram sempre com a presença de representantes do Governo”.

Este responsável realçou ainda que a solução que visa a recuperação de 47% do montante investido por centenas de clientes emigrantes do BES “é a possível, sem qualquer mínimo de adesão” e que “a AMELP deixará aos associados a total liberdade de aceitarem ou não” uma solução cujos contornos foram apresentados ontem ao final da tarde aos associados.

Do total de cerca de 75 milhões de euros investidos no EG Premium, a recuperação de 47% a que os emigrantes lesados terão direito correspondem a 35 milhões de euros.

Após a publicação deste aviso de início de oferta, caberá agora ao Novo Banco — entidade que medeia o processo — entrar em contacto com cada um dos 571 clientes emigrantes abrangidos por esta solução no sentido de se dirigirem aos balcões do banco. A oferta de recompra decorre entre 6 de novembro e 8 de janeiro, tal como anunciado à CMVM.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Solução para os emigrantes lesados do BES já está em marcha

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião