Tecnologia, negócios, desporto? Vai poder seguir tópicos no Twitter

Separar o trigo do joio vai ser mais fácil no Twitter. Pelo menos, essa é a promessa da rede social, que acaba de lançar os "Tópicos". Vai poder segui-los, tal como segue outras contas.

Da mesma forma que se seguem contas, vai ser possível seguir “Tópicos” no Twitter. A funcionalidade está a ser lançada esta semana e já chegou a Portugal, embora ainda não esteja totalmente desenvolvida. Mas para que servem estes tópicos?

A magnitude do conteúdo que é partilhado a cada instante torna difícil separar o que é interessante do que é dispensável. Esta tem sido uma crítica frequente ao Twitter, que prima por ser mais “instantâneo” do que outras plataformas do género. Por isso, a partir desta semana, os utilizadores vão poder seguir uma série de assuntos de que tenham interesse, como “futebol”, “tecnologia”, “negócios”, entre outros.

“Nos próximos meses, vai poder seguir conversas sobre um tópico, da mesma forma que segue contas com um só toque. Vão surgir sugestões de tópicos na sua timeline e nas pesquisas, com base no que costuma procurar e no que já acompanha no Twitter”, explicou a empresa, num comunicado. À medida que o algoritmo vai conhecendo melhor as preferências de uma determinada pessoa, essas sugestões vão sendo aprimoradas, indica também a rede social.

A nova aba dos “Tópicos” já surge nas versões Android e web do Twitter, na barra lateral e para a maioria dos utilizadores. Contudo, à hora de publicação deste artigo, ainda não existiam em Portugal tópicos que os utilizadores pudessem seguir. Um indicador de que, para já, a empresa lançou apenas as bases da nova funcionalidade e ainda a está a desenvolver.

E se a intenção é que os tópicos sejam semelhantes às contas, o Twitter avisa que todos os assuntos que uma determinada conta seguir vão ser públicos. Por isso, tenha cuidado na hora de seguir aquele seu guilty pleasure. Sim, todos temos um.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Tecnologia, negócios, desporto? Vai poder seguir tópicos no Twitter

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião