BPI vende 200 milhões em malparado. Baixa rácio crédito em incumprimento para 3,5%

A carteira tinha um valor bruto total de cerca de 200 milhões de euros, referentes a aproximadamente 1.800 contratos de créditos e 120 imóveis. Foi adquirida pelos americanos da Tilden Park.

O BPI vendeu de uma carteira de 200 milhões de euros de créditos não produtivos e ativos imobiliários aos americanos da Tilden Park. A operação vai permitir ao banco ficar com o rácio de ativos não produtivos “mais baixo do setor financeiro português”.

Segundo o banco, a carteira tinha um valor bruto total de cerca de 200 milhões de euros, referentes a aproximadamente 1.800 contratos de créditos e 120 imóveis.

Este conjunto de ativos foi adquirido por fundos e sociedades geridos pela entidade norte-americana Tilden Park Capital Management LP, após a conclusão de um processo de venda competitivo.

“Com esta operação o BPI alcançará, no final do ano, um nível de ativos não produtivos (non performing assets) inferior a 3,5%, o mais baixo do setor financeiro português”, salienta o banco liderado por Pablo Forero em comunicado.

O BPI, detido a 100% pelos catalães do CaixaBank, fechou os primeiros nove meses do ano com lucros de 254 milhões de euros, uma quebra superior a 50% face ao mesmo período do ano passado, que tinha sido influenciados por fatores extraordinários como a venda da Viacer ou o negócio de cartões.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

BPI vende 200 milhões em malparado. Baixa rácio crédito em incumprimento para 3,5%

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião