Portugal avança com nova troca de dívida para adiar reembolsos até 2034

IGCP realiza esta quarta-feira uma operação de troca de dívida: quer comprar obrigações que vencem em 2021 e em contrapartida vende títulos que só atingem maturidade em 2028 e 2034.

Portugal vai fazer nova operação de troca de dívida com o objetivo de adiar por mais alguns anos os reembolsos aos investidores. O IGCP vai comprar obrigações do Tesouro que vencem em 2021 e, em contrapartida, venderá títulos que só atingem maturidade em 2028 e 2034.

A operação de troca de dívida terá lugar na manhã desta quarta-feira, pelas 10h00, segundo anunciou a agência liderada por Cristina Casalinho.

O objetivo destas trocas de dívida é claro: Portugal procura alisar os pagamentos aos mercados nos próximos anos, numa altura em que os custos de financiamento se encontram em níveis mínimos por causa dos efeitos da ação de política monetária do Banco Central Europeu (BCE). Ou seja, troca obrigações caras por obrigações mais baratas e, simultaneamente, aumenta a maturidade média da sua dívida, numa estratégia que baixa o risco de gestão da dívida.

Em 2021, o nível de reembolsos é particularmente exigente: há quase 15 mil milhões de euros para devolver aos investidores, pelo que estas operações ajudam a baixar esse esforço financeiro. O nível de exigência mantém-se nos anos seguintes.

Calendário de reembolsos

Por causa disso, Portugal tem vindo a fazer várias operações deste ano. Em relação à linha de obrigações que vencem em abril de 2021, o IGCP já havia recomprado 100 milhões de euros antecipadamente e trocado 870 milhões de euros destes títulos por outros que só vencerão daqui a alguns anos.

(Notícia atualizada às 13h23)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Portugal avança com nova troca de dívida para adiar reembolsos até 2034

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião