Exportações de calçado caem 7,9% em sete meses

  • ECO
  • 28 Novembro 2019

A faturação da indústria do calçado portuguesa no exterior está em queda. Para a associação que representa o setor, este é um “reajustamento natural" depois de uma década de crescimento.

A indústria do calçado viveu anos de ouro na última década, tendo assistido a um crescimento acumulado de pero de 50% nesse período. Mas as vendas no exterior estão a travar a fundo. No ano passado, caíram perto de 3% e fixaram-se em 1,9 mil milhões de euros. Já nos primeiros sete meses deste ano, a faturação fora do país caiu 7,9%. O setor está a preparar um plano estratégico para acelerar as vendas.

A APICCAPS, que representa este setor, considera que este fenómeno é um “reajustamento natural”, depois de dez anos de subida. “Seria impossível crescer eternamente”, apontou o diretor de comunicação da associação, Paulo Gonçalves, em declarações ao Jornal de Negócios (acesso pago).

Assim, este ano “é expectável um recuo das exportações na casa dos 5%”, adiantou Paulo Gonçalves. Se as previsões se realizarem, traduzem-se numa perda de aproximadamente 100 milhões de euros em comparação com o ano anterior, altura em que já se tinha verificado uma queda.

“As alterações em curso no retalho europeu, com o desaparecimento de vários retalhistas”, serão responsáveis por esta viragem, que está também a ocorrer nos principais mercados de destino das exportações portuguesas, como França ou Alemanha, indicou Paulo Gonçalves. Já noutros mercados, como a China e os Estados Unidos, o calçado português continua a ter bons resultados.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Exportações de calçado caem 7,9% em sete meses

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião