PSD diz que ministra deixa de ter “desculpas” com reforço orçamental na Saúde

  • ECO
  • 11 Dezembro 2019

O Governo anunciou 800 milhões de euros de reforço no orçamento da Saúde. Para David Justino, do PSD, a ministra Marta Temido fica "sem desculpas" daqui para a frente.

Mais dinheiro para a Saúde, mais profissionais. Marta Temido vai ver o orçamento para a Saúde reforçado em 800 milhões de euros em 2020, num plano que prevê também a contratação de mais de 8.000 profissionais e ainda 550 milhões para reduzir os pagamentos em atraso. O PSD saúda a iniciativa, mas diz que a partir de agora a ministra fica “sem desculpas” caso a situação do SNS não melhore daqui para a frente.

David Justino, vice-presidente do PSD, referiu à TSF (acesso livre) que o plano apresentado esta quarta-feira pelo Executivo para melhorar a capacidade de resposta do SNS vai ao encontro de alguns dos pontos do programa eleitoral do PSD.

Segundo o dirigente social-democrata, se as questões dos recursos humanos, do investimento no SNS e da gestão forem trabalhadas em conjunto, “isto pode conduzir a um avanço significativo na superação das dificuldades”. Caso contrário, se os problemas no setor da Saúde continuarem, a responsabilidade é da ministra Marta Temido.

No programa “Almoços Grátis”, Carlos César, presidente do PS, destacou o facto de o Governo dar um primeiro passo para resolver a suborçamentação crónica na Saúde, sublinhando que este plano de investimentos “é consequência da boa gestão das finanças públicas que o Governo tem vindo a fazer”.

Carlos César rejeitou ainda que o plano de melhoria de resposta do SNS tenha sido aprovado para satisfazer as exigências do Bloco de Esquerda, sendo antes uma “consequência do programa do Governo e das prioridades estabelecidas no programa eleitoral do PS”.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

PSD diz que ministra deixa de ter “desculpas” com reforço orçamental na Saúde

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião