PAN quer alargar ecotaxa a café, colchões, roupa e cigarros

  • ECO
  • 12 Dezembro 2019

O partido quer alargar a ecotaxa para além dos equipamentos elétricos e eletrónicos, pneus e garrafas de plástico. A ideia é abranger bens que são colocados no lixo indiferenciado.

O Partido Animais Natureza (PAN) quer alargar a ecotaxa a cápsulas de café, colchões, roupa e cigarros. Para André Silva, o objetivo passa por “alargar a responsabilidade do produtor, embalador e distribuidor”. Atualmente, este imposto é aplicado apenas a resíduos de equipamentos elétricos e eletrónicos, pneus e garrafas de plástico.

“Não posso dizer que temos a medida inscrita no programa de Governo”, mas “sentimos um acolhimento favorável desta iniciativa”, diz André Silva, ao Expresso (acesso pago). “Estamos com uma expectativa muito positiva”.

Atualmente, a ecotaxa — cujas receitas revertem a favor das Sociedades Gestoras de Recolha de Resíduos — aplica-se apenas a resíduos de equipamentos elétricos e eletrónicos, pneus e garrafas de plástico, mas o PAN quer passar a incluir bens que, normalmente, são depositados no lixo indiferenciado, como é o caso das cápsulas de café, dos colchões, da roupa e dos cigarros.

O objetivo passa por “alargar a responsabilidade do produtor, embalador e distribuidor”, de forma a que “a circularidade dos bens seja maximizada”, que mais resíduos sejam triados para reciclagem e que não acabem incinerados ou despachados para um aterro, explicou André Silva.

Comentários ({{ total }})

PAN quer alargar ecotaxa a café, colchões, roupa e cigarros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião