Estado nunca foi tão eficaz a cobrar taxas moderadoras no SNS

  • ECO
  • 16 Dezembro 2019

Envio de notificações com uma referência para pagar as dívidas por multibanco ajudou à cobrança das taxas moderadoras. Percentagem de montantes cobrados foi de 96% no ano passado.

O Governo prepara-se para começar a reduzir as taxas moderadoras, sendo que o objetivo é eliminá-las no final da legislatura. Enquanto isso não acontece, são para cobrar. E nunca como no ano passado houve tanta eficácia na cobrança destas taxas aos portugueses, avança o Jornal de Notícias (acesso pago).

Em 2018, os hospitais e centros de saúde emitiram 161,2 milhões de euros em taxas moderadoras e cobraram 154,7 milhões, segundo os valores presentes no Relatório de Acesso aos Cuidados de Saúde de 2018. Ou seja, ficaram por cobrar apenas 6,5 milhões de euros em taxas moderadoras nos hospitais e centros de saúde. É o valor mais baixo desde 2012.

A percentagem dos montantes cobrados no ano passado foi de 96%, o que compara com os 92% em 2017 e os 89% no ano anterior. Há um crescendo na eficácia à boleia dos mecanismos de cobrança, sendo que uma das melhorias foi referente ao Sistema de Informação de Taxas Moderadoras. Através deste sistema são enviadas notificações juntamente com uma referência para pagar as dívidas por multibanco.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Estado nunca foi tão eficaz a cobrar taxas moderadoras no SNS

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião