Credores da Orey Financial também podem reclamar créditos no PER. Prazo termina a 30 de dezembro

Orey Financial não é abrangida pelo PER pedido pelo grupo. No entanto, o BdP esclarece que - estando o processo de revogação da autorização pelo BCE ainda em aberto - créditos podem ser reclamados.

A Orey Antunes pediu um processo especial de revitalização (PER), que não abrange a unidade financeira Orey Financial pois esta está em processo de descontinuação da atividade. Mas como o processo ainda não ficou fechado, o Banco de Portugal considera que os credores da Orey Financial também podem reclamar créditos no PER da “casa mãe”. O período para o fazer vai acabar dia 30 de dezembro, mas a empresa garante que todos os credores já foram convidados a negociar.

Apesar de o Banco de Portugal já ter dado o ok para a perda de autorização de exercício de atividade como instituição financeira, a Orey Financial precisa de o ter também pelo Banco Central Europeu (BCE), o que ainda não aconteceu. Assim, é abrangida pela recuperação de créditos no âmbito do PER requerido pelo acionista único, o grupo Orey Antunes, de acordo com o supevisor.

“Tendo em consideração que na pendência da emissão pelo BCE [Banco Central Europeu] de uma decisão final sobre o pedido de revogação da autorização da Orey IFIC, os membros dos órgãos de administração e fiscalização renunciaram aos seus mandatos, o Banco de Portugal considera relevante chamar a atenção para a circunstância de estar em curso o prazo para a reclamação de créditos pelos credores interessados no referido PER“, anunciou o BdP esta sexta-feira.

Em causa está o PER da Orey Antunes, que — segundo a empresa — não abrange a Orey Gestão Imobiliária nem a Orey Financial já que a última já estava apenas a realizar os procedimentos necessários para encaminhar os ativos dos clientes e fechar a atividade.

Fonte oficial da Orey Financial explicou ao ECO que “os credores da Orey Financial estão e sempre estiveram incluídos no PER da SCOA desde o primeiro dia”. Acrescentou que “todos os credores da Orey Financial estão na lista provisória publicada pela empresa, bem como receberam uma carta convite para participar das negociações à semelhança dos credores da SCOA“.

A 10 de agosto de 2019, o Banco de Portugal apresentou ao BCE um pedido de revogação da autorização da Orey Financial para o exercício da sua atividade de instituição financeira de crédito. Mas o BCE ainda não respondeu ao pedido. Assim, os credores da Orey Financial também poderão reclamar créditos.

Depois da abertura de um PER junto do Tribunal Judicial de Comarca de Lisboa, a Orey anunciou a 10 de dezembro que lhe foi atribuído um administrador judicial, Jorge Manuel e Seiça Dinis Calvete, que terá, a partir desse dia, de dar autorização à empresa para atos de “especial relevo”.

O PER arrancou, assim, oficialmente, tendo os credores 20 dias corridos para reclamarem os seus créditos. “Este prazo aplica-se também a eventuais credores da Orey IFIC que pretendam reclamar os seus créditos no âmbito do PER da SCOA”, sublinhou o BdP. O prazo termina a 30 de dezembro.

(Notícia atualizada às 20h20 com comentário da Orey Financial)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Credores da Orey Financial também podem reclamar créditos no PER. Prazo termina a 30 de dezembro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião