Governo aprova incentivos à Bosch e à Bial por investimentos de 74 milhões de euros

A Bosch e a Bial vão investir, cada uma, um total de 74 milhões de euros em projetos de investigação na área da indústria e da saúde. Serão contratados cerca de 50 trabalhadores.

O Governo aprovou a atribuição de incentivos à Bosch e à Bial que, em conjunto, preveem investir 74 milhões de euros e contratar cerca de 50 trabalhadores. A aprovação da minutos dos contratos de investimento foram publicadas esta segunda-feira em Diário da República.

Os investimentos em causa não são novos, mas só agora são aprovadas as minutas dos contratos. O Governo deu luz verde aos apoios ao investimento de 26,3 milhões de euros que a Bosch vai fazer no projeto “Factory Of The Future, para tentar desenvolver “soluções de industrialização, produção e controlo de qualidade de novos sistemas, produtos e componentes para a indústria automóvel”, lê-se na portaria.

Com este projeto, que será feito em parceria com a Universidade do Minho, a Bosch compromete-se a contratar 31 novos quadros com qualificação superior ao nível VI, enquanto a instituição acolherá 69 bolseiros de investigação e sete novos quadros, com qualificação igual ou superior ao nível VII.

Já do lado da Bial, o investimento é superior e ascende a cerca de 48 milhões de euros. Neste caso, a empresa vai realizar “estudos clínicos e não-clínicos para identificação do potencial terapêutico de novos compostos nas áreas dos sistemas nervoso central e cardiovascular, de forma a determinar os seus efeitos farmacodinâmicos, farmacológicos e clínicos e a avaliar o seu perfil de segurança e de eficácia”, refere a portaria.

O objetivo deste projeto, denominado “Cardiomet&SNC”, é “introduzir medicamentos inovadores no mercado mundial”. E, tal como acontece com a Bosch, também a Bial vai fazer contratações: serão recrutados 12 novos trabalhadores com nível de qualificação igual ou superior a VI, bem como serão afetos à investigação um total de 57 postos de trabalho da Bial e o aumento, nos próximos anos, do quadro de técnicos altamente qualificados da empresa afetos à I&D de novos medicamentos.

Em troca por estes investimentos, o Governo atribuirá incentivos fiscais, que não são especificados nas portarias mas que, normalmente, são atribuídos em sede de IRC e de Imposto de Selo. Nos diplomas, lê-se que cada um deste projetos beneficia de apoios europeus no âmbito do Compete 2020 e “reúne as condições necessárias à concessão de incentivos financeiros previstos para os grandes projetos de investimento”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Governo aprova incentivos à Bosch e à Bial por investimentos de 74 milhões de euros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião