Putin já propôs ao Parlamento russo novo primeiro-ministro

  • ECO e Lusa
  • 15 Janeiro 2020

O Governo liderado por Dmitry Medvedev pediu a demissão e, entretanto, Vladimir Putin já propôs ao Parlamento russo um novo primeiro-ministro: Mikhail Mishustin.

O Governo da Rússia caiu esta quarta-feira, instantes depois de o presidente Vladimir Putin ter proposto alterações a constituição russa que deverão limitar o poder de um potencial sucessor, caso Putin deixe o cargo em 2024. A informação sobre a renúncia do Governo russo foi reportada pela agência russa TASS. Entretanto, Putin já propôs ao Parlamento russo um novo primeiro-ministro: Mikhail Mishustin.

Segundo o The Guardian, o primeiro-ministro Dmitry Medvedev pediu a demissão e todos os ministros renunciaram aos cargos. A decisão permitirá a Vladimir Putin nomear novos ministros e reformular, de forma efetiva, a liderança do país a um nível estrutural.

Em declarações aos jornalistas citadas pela CNN, fonte do Kremlin adiantou, entretanto, que Putin já tomou o primeiro passo nesse exato sentido, tendo proposto um novo primeiro-ministro: Mikhail Mishustin. Mishustin é o atual chefe do Serviço Federal de Impostos da Rússia.

Num comunicado, Putin agradeceu o trabalho feito por Medvedev e pela equipa, apesar de reconhecer que “nem tudo foi feito, mas nem tudo funciona sempre bem”. “Quero expressar satisfação com os resultados que foram alcançados”, rematou o chefe de Estado.

Esta renúncia, por isso, tem outros contornos do que os de uma rutura. Primeiro, porque Vladimir Putin tenciona tomar medidas que vão reduzir o poder de eventuais sucessores. A ideia é limitar a presidência a dois mandatos, apesar de Putin cumprir o quarto mandato que termina em 2024. Ao mesmo tempo, permitirá ao parlamento russo escolher os candidatos a primeiro-ministro, encolhendo o papel do presidente.

“Nós, como Governo da Federação russa, devemos dar ao Presidente os meios para tomar todas as medidas necessárias. Por isso, […] o Governo no seu todo renuncia”, disse Medvedev, citado pela agência russa.

Dmitry Medvedev deverá continuar nos corredores do poder. Apesar da renúncia do Governo, o primeiro-ministro demissionário foi convidado por Putin a ocupar um novo cargo de vice-presidente do Conselho de Segurança da Rússia, um órgão que é encabelado pelo próprio presidente, Vladimir Putin.

Revisão da Constituição vai a referendo

Vladimir Putin propôs ainda a realização de um referendo sobre reformas da Constituição para reforçar os poderes do parlamento, preservando o caráter presidencial do sistema político que dirige há 20 anos.

“Considero necessário submeter ao voto dos cidadãos do país o conjunto das revisões da Constituição propostas”, disse Vladimir Putin no seu discurso anual ao parlamento e às elites políticas, sem adiantar quaisquer datas.

Entre as propostas de alterações estão ainda o reforço dos poderes dos governadores regionais, a proibição dos membros do governo e dos juízes de obterem residência no estrangeiro e a obrigação de os candidatos à presidência terem vivido nos últimos 25 anos na Rússia.

Os analistas olham para esta proposta presidencial como um esforço de Putin para conquistar uma nova posição de poder, permitindo-lhe permanecer no comando do Estado após o seu mandato atual, que termina em 2024.

(Notícia atualizada pela última vez às 17h21)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Putin já propôs ao Parlamento russo novo primeiro-ministro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião