Mota-Engil, REN, Sonae e Sonae Capital são as ações preferidas do CaixaBI para 2020

Banco de investimento está otismista quanto ao PSI-20 para este ano e tem quatro ações preferidas. Os ganhos potenciais vão de 18% a mais de 50%, sendo que o CaixaBI recomenda a "compra" de todas.

O banco de investimento da Caixa Geral de Depósitos (CGD) escolheu quatro ações da bolsa de Lisboa como as preferidas para 2020. Dividendos interessantes, liderança nos setores onde operam e atividade em crescimento são os principais fatores que levam os analistas do CaixaBI a escolher a Mota-Engil, REN, Sonae e Sonae Capital como top picks para 2020.

A “liderança em Portugal no mercado de construção”, a “ampla diversificação geográfica” e a “exposição a mercados com elevadas margens” como África ou América Latina são os pontos fortes da construtora. O CaixaBI recomenda aos clientes a “compra” de ações da Mota-Engil, que vê a valorizar quase 18% para 2,20 euros (em relação ao preço de fecho do ano passado), segundo a revisão anual a que o ECO teve acesso.

Já para a Sonae, os analistas veem um potencial de 43% para 1,30 euros por ação, recomendando a “compra” e destacando o facto de ser líder no mercado de retalho alimentar, devido ao vasto portefólio de canais e força da marca. A Sonae Capital é igualmente uma das preferidas (com ganhos de 53% esperados para 1,15 euros), tendo como o crescimento do turismo em Portugal, o diversificado portefólio de empresas e a robustez da estrutura acionistas como pontos a favor.

O caso da REN é diferente já que a preferência por este título prende-se com o “perfil defensivo” da empresa, que oferece uma “elevada dividend yield” e uma “clara política de dividendos”. Recomendando “comprar”, o CaixaBI aponta para uma potencial subida de 19,5% das ações até aos 3,25 euros ao longo deste ano.

PSI-20 poderá ter ano ainda melhor em 2020

Tendo em consideração as avaliações das empresas que cobrimos, antecipamos um potencial de valorização de 13% do PSI-20 em 2020“, refere a mesma nota de research. O índice de referência nacional fechou o ano passado com uma valorização de 10,2%, que fez de 2019 o melhor ano desde 2018 (quando a bolsa tinha caído 12%).

A valorização de 13% esperada pelo CaixaBI levaria o índice até aos 5.892 pontos, sendo que o banco de investimento posiciona-se entre as estimativas mais otimistas para a bolsa de Lisboa.

O otimismo em relação a Portugal segue em linha com a expectativa para a Europa e EUA. Os mercados europeus de ações deverão receber apoio do desempenho dos Estados Unidos, mas também da política monetária expansionista do Banco Central Europeu“, antecipam os analistas.

Tendo em consideração as avaliações das empresas que cobrimos, antecipamos um potencial de valorização de 13% do PSI-20 em 2020. Esta visão positiva para o PSI-20 é também uma consequência da avaliação de baixo risco da República no seguimento das melhorias nos rácios de dívida e défice (que poderão levar a mais melhorias no rating).

Caixa Banco de Investimento

Os bancos centrais manter-se-ão como um importante player nos mercados este ano. A nota do CaixaBI refere que a política monetária deverá continuar expansionista nas maiores economias para apoiar o crescimento económico e a inflação, ficando em aberto se a Reserva Federal norte-americana irá baixar novamente os juros de referência e esperando-se que o BCE desça as taxas dos juros dos depósitos.

Por outro lado, o Brexit e a guerra comercial penalizaram a economia global no ano passado, tendo efeitos ainda em 2020. Neste cenário, “o outlook para o desempenho empresarial tem piorado em muitos setores”. Apesar disso, o CaixaBI espera uma evolução positiva dos resultados e um crescimento dos lucros das 18 empresas portuguesas cobertas de 16%.

Além da robustez da economia portuguesa e da subida dos resultados das empresas, “esta visão positiva para o PSI-20 é também uma consequência da avaliação de baixo risco da República no seguimento das melhorias nos rácios de dívida e défice (que poderão levar a mais melhorias no rating)“, acrescenta o CaixaBI.

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Mota-Engil, REN, Sonae e Sonae Capital são as ações preferidas do CaixaBI para 2020

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião