Isabel dos Santos e o pai investigados pela justiça do Mónaco

  • ECO
  • 18 Janeiro 2020

José Eduardo dos Santos, Isabel dos Santos e Sindika Dokolo estarão a ser investigados pela justiça do Mónaco por suspeitos do crime de branqueamento de capitais.

Isabel dos Santos, o seu pai, o ex-presidente de Angola José Eduardo dos Santos, e o marido, o empresário congolês Sindika Dokolo, estarão a ser investigados pelas autoridades do Mónaco, avança o Expresso (acesso pago) neste sábado. Em causa nesta investigação estão suspeitas de crime de branqueamento de capitais.

O semanário adianta ainda que as investigações poderão vir a estender-se a outros familiares, amigos e colaboradores mais próximos que, de forma direta ou indireta, em negócios, citando um oficial dos serviços de investigação criminal de Angola, que acompanha o caso em colaboração com a Interpol.

Na origem das suspeitas das autoridades monegascas estarão elevados montantes depositados em instituições financeiras no principado. Segundo adiantou ao Expresso fonte da Interpol, o caso e as investigações já decorrem há alguns meses, tendo ganho nova força na sequência das acusações feitas pelo Tribunal Provincial de Luanda, que apontou um rol de alegados crimes atribuídos a Isabel dos Santos e marido durante o período em que o pai foi Presidente de Angola.

Questionada pelo Expresso sobre se tem conhecimento da investigação no Mónaco e sobre se tem contas bancárias no principado, a empresária Isabel dos Santos não respondeu.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Isabel dos Santos e o pai investigados pela justiça do Mónaco

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião