PGR está “a analisar toda a informação” sobre Isabel dos Santos revelada nos Luanda Leaks

O Ministério Público está a analisar a informação revelada pelo consórcio de jornalistas internacional sobre a empresária angola. Qualquer pedido da PGR de Angola será validado pela PGR em Portugal.

Isabel dos Santos terá desviado mais de 100 milhões de euros das contas da Sonangol, utilizando o EuroBic, de que é a principal acionista, para os transferir para uma sociedade sua, no Dubai. Este esquema, revelado pelos Luanda Leaks, já está a ser analisado pelo Ministério Público. Ao ECO, o DCIAP admite atuar.

“O Ministério Público não deixará de analisar toda a informação que tem vindo a público e de desencadear os procedimentos adequados no âmbito das suas atribuições”, diz ao ECO.

O consórcio de jornalismo de investigação, ICIJ, revelou mais de 715 mil ficheiros que revelam como Isabel dos Santos conseguiu tornar-se na mulher mais rica de África.

De acordo com a investigação, a filha do ex-presidente de Angola terá utilizado fundos públicos para fazer crescer a sua fortuna. Foi na liderança da Sonangol que terá, com recurso ao EuroBic, transferido milhões de dólares para uma sociedade sua no Dubai.

A PGR de Angola está a investigar estas transferências. Admite vir a emitir um mandado de captura visando a empresária, isto porque Isabel dos Santos não se encontra no país.

Ao ECO, a PGR portuguesa lembra que “mantém uma estreita colaboração com a sua congénere angolana, tendo renovado em 26 de abril de 2019 o Acordo Adicional ao Acordo de Cooperação com a Procuradoria-Geral da República de Angola”.

A entidade liderada por Lucília Gago salienta que “neste, como em todos os outros casos, dará seguimento aos pedidos de cooperação judiciária internacional que lhe sejam dirigidos”.

(Notícia atualizada às 19h39 com mais informação)

Comentários ({{ total }})

PGR está “a analisar toda a informação” sobre Isabel dos Santos revelada nos Luanda Leaks

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião