Incentivos para compra de táxis elétricos atraem apenas 26 candidaturas

  • ECO
  • 27 Janeiro 2020

Dos 200 mil euros previstos na linha de crédito para a compra de táxis elétricos, 48 mil euros ficaram por atribuir. O incentivo atraiu apenas 26 candidaturas e nem todas foram aprovadas.

Os incentivos concedidos pelo Governo para a compra de táxis elétricos ficaram aquém do montante disponibilizado na linha de crédito. Segundo a TSF, houve 26 candidaturas em 2019 e 21 foram aprovadas. Duas foram recusadas e três ainda estão em análise.

A menor procura do que o esperado traduz-se na atribuição de incentivos num montante substancialmente inferior ao da linha de crédito disponibilizada. O Fundo para o Serviço Público de Transportes dispensou 152 mil euros, menos 48 mil euros do que o teto máximo previsto, que era de 200 mil euros, refere a rádio.

A Federação Portuguesa do Táxi (FPT) justifica estes dados com os “muitos requisitos” exigidos para o acesso a este financiamento e queixa-se do facto de um operador apenas poder candidatar uma viatura. Além disso, acredita que a possibilidade de as empresas deduzirem o IVA da eletricidade usada para carregar elétricos, prevista no Orçamento do Estado para 2020, pode reavivar o interesse neste benefício.

O incentivo à compra de elétricos neste setor surgiu no âmbito de incentivos à descarbonização dos táxis. De acordo com os dados avançadas à TSF pelo Ministério do Ambiente e da Transição Energética, a idade média dos táxis que vão ser substituídos por elétricos é de 20 anos.

Comentários ({{ total }})

Incentivos para compra de táxis elétricos atraem apenas 26 candidaturas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião