Santa Casa quer lançar programa de rendas acessíveis

A Santa Casa da Misericórdia quer lançar o seu próprio programa de "arrendamento moderado" em Lisboa. Além disso, vai reforçar o Programa de Arrendamento Jovem.

Na hora de arrendar casa, são cada vez mais as opções para quem procura procura preços acessíveis, desde iniciativas públicas a autárquicas. E, ainda este ano, poderá aparecer mais uma alternativa, desta vez da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa. A instituição está a estudar a criação de um programa de “arrendamento moderado”, com rendas abaixo do valor de mercado. Mas, para os jovens, também vêm aí novidades.

O provedor Edmundo Martinho já tinha tornado pública a intenção de disponibilizar imóveis com rendas acessíveis através de uma ‘entrada’ no Programa de Renda Acessível (PRA) da Câmara de Lisboa. E esse desejo mantém-se. “A Santa Casa continua empenhada no compromisso de disponibilizar fogos ao abrigo do PRA”, disse fonte oficial da instituição ao ECO.

Mas, desde essa altura, os objetivos tornaram-se mais ambiciosos e a intenção é mesmo criar um programa concorrente. “A Santa Casa da Misericórdia de Lisboa está a estudar a criação de um novo programa mais abrangente para imóveis com ‘arrendamento moderado’, ou seja, abaixo do valor de mercado“, revelou ao ECO a mesma fonte.

Embora não se conheçam detalhes sobre esta iniciativa, a mesma deverá arrancar já este ano, pouco tempo depois de terem sido lançados dois programas de rendas acessíveis, um público e um autárquico, com poucos meses de diferença.

O Programa de Arrendamento Acessível (PAA) do Governo, que arrancou em julho do ano passado, permite aos proprietários colocarem os seus imóveis no mercado de arrendamento, beneficiando de isenção fiscal. E o Programa de Renda Acessível (PRA) da Câmara de Lisboa, que entrou em vigor a 12 de dezembro, e que promete rendas 30% inferiores ao rendimento mensal líquido do agregado familiar.

Programa de Arrendamento Jovem reforçado

Do lado dos jovens, a Santa Casa da Misericórdia vai também trazer novidades. A instituição “está a estudar a possibilidade de aumentar o número de frações do seu Programa Arrendamento Jovem já no próximo ano“, revelou a mesma fonte ao ECO.

Recorde-se que esta iniciativa, que arrancou em junho de 2018, já colocou no mercado 15 habitações totalmente reabilitadas no centro de Lisboa, cujas rendas são 25% inferiores aos valores de mercado.

A ideia é “contrariar a tendência para o envelhecimento da população nos centros urbanos e possibilitando que jovens que trabalhem ou estudem no município de Lisboa possam também nele residir”, lê-se no site da entidade.

Programa de Arrendamento Jovem, Santa Casa da Misericórdia.

Atualmente, inscrito neste programa há um T0 com 65 metros quadrados na Rua Diário de Notícias, freguesia da Misericórdia, com uma renda associada de 570 euros.

À medida que vão aparecendo novos imóveis, os interessados deverão candidatar-se através de email e anexar todos os documentos necessários. Feito isto, a Santa Casa vai avaliar as propostas, com base em critérios como idade, situação laboral e/ou académica e as condições contratuais de arrendamento. As candidaturas serão selecionadas por ordem de entrada. É ainda possível marcar uma visita.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Santa Casa quer lançar programa de rendas acessíveis

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião