Afinal, centros históricos vão continuar a ter a isenção de IMI

  • ECO
  • 11 Fevereiro 2020

Os prédios situados nos centros históricos já não vão perder isenção de IMI. PSD votou contra a reversão da isenção do Governo, o que acabou por ditar o seu chumbo no Parlamento.

Afinal, os centros históricos vão continuar isentos de IMI. O Parlamento chumbou uma medida do Governo que pretendia acabar com a isenção de IMI nos centros históricos, conta o Jornal de Negócios (conteúdo pago).

O fim desta “borla” chegou a ser dado como aprovado no site da Assembleia da República, mas uma coligação negativa acabou por chumbar a medida do Governo. O PSD tinha votado a favor do fim da isenção, mas voltou atrás na decisão, passando a votar contra, deixando o PS sozinho.

Com este chumbo no Parlamento, os prédios inseridos em centros históricos de cidades como Sintra, Porto, Guimarães, Évora ou Angra do Heroísmo, por exemplo, paisagens culturais e conjuntos classificados como monumentos nacionais, bem como os imóveis individualmente considerados como de interesse público ou de interesse municipal vão, assim, continuar isentos de IMI.

Comentários ({{ total }})

Afinal, centros históricos vão continuar a ter a isenção de IMI

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião