Patrões não pagaram quase metade das horas extraordinárias em 2019

  • ECO
  • 16 Fevereiro 2020

Mais de 4,7 milhões de horas extraordinárias foram feitas pelos trabalhadores portugueses no ano passado. Cerca de 48,5% ficou por pagar.

Foram mais de 4,7 milhões as horas extraordinárias feitas pelos trabalhadores portugueses no ano passado, mas quase metade não foi pago, escreve o Dinheiro Vivo (acesso livre). Foi cerca de 48,5% do total que ficou por pagar, um número que tem, no entanto, vindo a diminuir nos últimos anos.

Os trabalhadores por conta de outrem fizeram, em média, oito horas extraordinárias por semana, mas só cerca de quatro foram pagas, mostram os cálculos do jornal feitos a partir de dados fornecidos pelo Instituto Nacional de Estatística. Noutra perspetiva, 51,5% das horas extra foram pagas, sendo que foi a primeira vez desde 2011 que mais de metade das horas extraordinárias foram pagas.

Mais de 592 mil pessoas fizeram horas extra, o que representa 14,5% dos trabalhadores por conta de outrem. E quase um milhão disse trabalhar mais de 40 horas, fazendo uma jornada semanal acima do limite estipulado para o privado. Registou-se ainda um aumento no número de portugueses que têm um segundo emprego, bem como naqueles que trabalham por turnos.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Patrões não pagaram quase metade das horas extraordinárias em 2019

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião