Tomás Correia exige que reforma de 14 mil euros seja aumentada

  • ECO
  • 16 Fevereiro 2020

O antigo líder do Montepio avançou para tribunal contra a Caixa Geral de Aposentações. Tomás Correia exige que a pensão de 14.300 euros mensais seja recalculada.

O antigo líder do Montepio, Tomás Correia, decidiu interpor uma ação em tribunal contra a Caixa Geral de Aposentações (CGA) para que a sua pensão seja recalculada, avança o Correio da Manhã (acesso pago). O banqueiro recebe uma reforma de 14.300 euros por mês, mas diz que deveria receber mais por ter estado no Conselho de Administração da Caixa Geral de Depósitos (CGD), entre 1996 e 2003.

A pensão foi fixada em 14.300 euros na aposentação. Em 2011 passou para os 11 mil euros devido aos cortes das pensões impostos pela troika, mas o ex-presidente da Associação Mutualista Montepio Geral contestou a redução e voltou a receber o valor definido inicialmente.

Agora, exige uma revisão do cálculo da sua reforma, argumentando que houve uma alteração da remuneração do seu cargo de vogal, sendo que em 2016 passou a ser vogal-executivo e o salário passou de 17.500 euros para 23.285 euros. Tomás Correia alega também que os juros que recebeu depois de ser reposto o valor original da pensão não foram bem calculados.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Tomás Correia exige que reforma de 14 mil euros seja aumentada

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião