Suspeitas de branqueamento de capitais congelam mais de 2,5 mil milhões de euros

  • ECO
  • 16 Fevereiro 2020

O número de operações bancárias suspensas mais do que triplicou em 2019 face ao ano anterior. Na origem da suspensão estiveram suspeitas de branqueamento de capitais ou de financiamento de terrorismo.

Suspeitas de branqueamento de capitais ou de financiamento de terrorismo levaram a Justiça portuguesa a ordenar o congelamento de mais de 2,5 mil milhões de euros no ano passado, adianta o Público (acesso pago). O número de operações bancárias suspensas mais do que triplicou em relação a 2018.

Enquanto em 2018 foram suspensas 143 operações bancárias, até 31 de outubro do ano passado já tinham sido suspensas 518. O valor das transações também atingiu maiores dimensões, sendo que o montante das operações suspensas em dólares ultrapassou o valor congelado em euros, em 2019.

As transações suspensas no ano passado atingiram o valor global de mais de dois mil milhões de dólares (cerca de 1,8 mil milhões de euros), ao que acrescem pelo menos 751 milhões em euros. Para além do aumento dos montantes congelados, também cresceram as comunicações de operações suspeitas que têm de ser transmitidas à Unidade de Informação Financeira da Polícia Judiciária e ao Departamento Central de Investigação e Ação Penal.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Suspeitas de branqueamento de capitais congelam mais de 2,5 mil milhões de euros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião