Tribunal autoriza Tesla a derrubar floresta na Alemanha

  • ECO
  • 21 Fevereiro 2020

O plano gerou polémica junto de grupos ambientalistas, que levaram o caso a Tribunal. A Justiça deu agora razão à empresa de Elon Musk.

A Tesla recebeu luz verde da Justiça alemã para destruir 92 hectares na Alemanha para construir a sua gigafábrica. A empresa liderada por Elon Musk está a preparar a primeira fábrica na Europa, mas queria, para isso, limpar uma floresta nos arredores de Berlim. O tribunal deu-lhe razão, segundo noticia o Deutsche Welle (acesso livre).

O plano gerou polémica junto de grupos ambientalistas, que levaram o caso a Tribunal, alegando que a construção da fábrica naquele local afetará a vida selvagem local, bem como o fornecimento de água. Perante a situação, o Tribunal Administrativo Superior de Berlim-Brandemburgo havia ordenado a suspensão do corte das árvores até nova decisão.

Musk reivindicou que a floresta existente não é natural, mas sim plantada para a indústria do papel, acrescentando que a fábrica gastará muito menos água do que os ambientalistas defendem. Agora, a Tesla foi autorizada a continuar, desbloqueando assim a construção da fábrica. Segundo o ministério alemão, as reclamações contra a construção da nova fábrica, a primeira na Europa, podem ainda ser feitas até 5 de março. Apenas depois disso, a permissão para a construção será analisada.

Em novembro do ano passado, o construtor de carros elétricos confirmou que vai abrir uma fábrica nos arredores de Berlim. A nova fábrica será a quarta da Tesla, depois das já existentes no Nevada, em Nova Iorque e em Xangai, sendo esta última a primeira fora dos Estados Unidos. Musk precisou mais tarde que a nova fábrica vai “construir baterias, motorização e veículos, começando com o modelo Y”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Tribunal autoriza Tesla a derrubar floresta na Alemanha

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião