Tecnologia da OutSystems rastreia coronavírus em Singapura

  • ECO
  • 24 Fevereiro 2020

Do It Lean, empresa tecnológica portuguesa de Leiria, parceira da OutSystems, desenvolveu aplicação para telemóvel para rastrear os sintomas do coronavírus numa empresa em Singapura.

Com o coronavírus a ganhar força, espalhando-se além do território chinês, aumenta a necessidade de controlo dos sintomas para evitar o alastrar do número de contágios. Neste sentido, uma empresa de Singapura desafiou a Do It Lean, empresa tecnológica portuguesa de Leiria, a desenvolver uma aplicação que faz o rastreio dos funcionários. A solução recorreu à tecnologia da OutSystems.

“Num esforço conjunto com a empresa de segurança [de Singapura], a Do iT Lean, recorrendo ao low-code da também portuguesa Outsystems, criou o Health Status Reporting, uma aplicação web responsive“, diz a empresa em comunicado. “A utilização do low-code da OutSystems permitiu que a Health Status Reporting fosse desenvolvida em apenas cinco dias e com recurso a um único programador”.

Esta aplicação permite, segundo a OutSystems, que os 15.000 funcionários da companhia que pediu anonimato “reportem diariamente e de forma rápida medições de temperatura e outros sintomas importantes do coronavírus como dores de garganta, tosse ou falta de ar, para que possam ser tratados e rastreados de forma célere”.

A empresa garante que toda a informação é privada e monitorizada apenas para deteção de potenciais casos para atuar em conformidade e com o apoio das entidades de saúde.

“De forma centralizada, é possível monitorizar sinais e alterações e atuar em conformidade com os processos implementados. Esta monitorização tem ainda maior relevo dada a elevada exposição dos funcionários desta empresa em locais públicos”, explica Pedro Delgado, CTO da Do iT Lean, em comunicado.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Tecnologia da OutSystems rastreia coronavírus em Singapura

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião