Governo volta a reunir com Moita e Seixal para os convencer sobre aeroporto no Montijo

O primeiro-ministro vai reunir novamente com os autarcas de Moita e Seixal numa última tentativa de os convencer a aceitarem o novo aeroporto do Montijo. Mas garante que não há outra hipótese na mesa.

O Governo vai voltar a reunir com os autarcas de Moita e Seixal, a 16 e 17 de março, numa última tentativa de os convencer a aceitarem a conversão da base aérea do Montijo num aeroporto comercial. Mesmo assim, em declarações transmitidas pela SIC Notícias, o primeiro-ministro garantiu que está totalmente afastada a hipótese de vir a optar por uma localização alternativa.

Esta quarta-feira, o Governo encontrou-se com os presidentes de vários municípios que serão afetados pelos impactos do novo aeroporto. No final, António Costa admitiu novas reuniões com os dois autarcas da Moita e do Seixal, respetivamente Rui Manuel Marques Garcia e Joaquim Santos, numa última tentativa de os convencer a acolherem a decisão do novo aeroporto do Montijo como complemento ao de Lisboa.

“A localização [do novo aeroporto] é uma discussão muito interessante. Apaixonou o país, teve várias opções, cada uma com argumentos a favor e argumentos contra. Mas só continua em termos académicos. Em termos práticos, ficou encerrado em 2014/2015” pela decisão do XIX Governo, disse. Desta forma, “seria irresponsável um novo Governo chegar e pôr em causa tudo o que anterior tinha decidido”, argumentou.

O primeiro-ministro dramatizou a discussão, lembrando que “o aeroporto de Lisboa está a rebentar pelas costuras” e já não há tempo para manter a discussão pública sobre outra localização diferente da do Montijo. “Neste momento, já não temos, sequer, o benefício de poder arrastar o problema”, considerou o governante.

Na visão do Governo, os municípios nas proximidades do novo aeroporto “têm o direito” a pronunciarem-se, mas dentro dos dois pontos previstos na lei: o impacto ambiental e a “limitação dos direitos de construção”. “Respeito a opinião de toda a gente sobre a opção que não está em cima da mesa, que é a de relocalização”, considerou.

Estes dois municípios têm prometido bloquear o começo da obra, por preferirem outras localizações. Esta quarta-feira, o presidente da Câmara Municipal do Seixal, Joaquim Santos, afirmou que o Governo não deu “um único argumento que mostrasse que o Montijo é a melhor opção”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Governo volta a reunir com Moita e Seixal para os convencer sobre aeroporto no Montijo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião