Medina anuncia reforço do apoio social a crianças, idosos e sem abrigo

Uma das medidas anunciadas pela Câmara de Lisboa é o alargamento do apoio domiciliário aos idosos que não têm autonomia para algumas tarefas do quotidiano.

Para fazer frente ao surto do novo coronavírus, a Câmara Municipal de Lisboa (CML) reforçou as medidas de apoio social a crianças, idosos, sem abrigo e profissionais das forças essenciais. Uma das medidas, que Fernando Medina descreve como o “maior programa de apoio social alguma vez montado em Lisboa”, é o alargamento do apoio domiciliário aos idosos, para garantir refeições quentes, medicamentos e higiene pessoal.

Outra das medidas, anunciadas pelo presidente da CML no Facebook, é que estarão em funcionamento 26 cozinhas e refeitórios em escolas por toda a cidade já a partir desta segunda-feira, onde será garantida a alimentação completa do dia a todos os alunos mais necessitados. Para além disso, estarão abertas nove escolas da cidade para acolher os filhos dos profissionais dos serviços essenciais, nomeadamente saúde, forças de segurança e bombeiros, que necessitem deste apoio.

Já para os sem-abrigo, foram delineados planos de contingência e reforçadas medidas em todos os centros de acolhimento. Para além disso, estão também a ser montados mais dois espaços para necessidades de quarentena, sendo que no início da semana vai abrir um centro acolhimento no pavilhão do Casal Vistoso para receber os sem-abrigo que não se encontram nos centros existentes.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Medina anuncia reforço do apoio social a crianças, idosos e sem abrigo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião